Diante do América Mineiro, domingo, no Estádio Nilton Santos, o Botafogo tem a oportunidade de vencer e subir na tabela de classificação. Com pouco tempo de casa, mas ambientado e focado para ajudar o grupo, o atacante Erik concedeu entrevista coletiva nesta quarta-feira e falou sobre o espírito necessário para melhorar a situação do Alvinegro.

– Nos meus jogos sempre procurei deixar tudo lá dentro. Quero agradecer o reconhecimento dos torcedores por esse empenho. Nossa cobrança interna é muito grande e temos que acordar. Nesse campeonato faltam quatorze jogos e temos que procurar pontuar o máximo posssível – disse.

Confira os demais trechos ds entrevista coletiva de Erik:

MÁXIMO EM CAMPO

– Desde quando cheguei sempre procurei deixar meu máximo lá dentro. Joguei os 90 minutos em todas e saí mentalmente e fisicamente desgastado. Iniciamos uma nova semana e temos sempre que encarar o desafio de frente. Sempre motivando os companheiros, temos que pensar alto. O horário do jogo de domingo é bom, gosto até disso como atleta.

JOGO A JOGO

– Pensar nos sete jogos decisivos é algo muito importante, mas o foco está jogo a jogo. A vitória tem que estar sempre em mente e sejam contra equipes da parte de cima ou de baixo a vitória tem que estar sempre em mente.

É LEVANTAR A CABEÇA

– Na verdade a minha estreia foi com uma vitória importante e depois um jogo para esquecer contra o Grêmio. Um jogo que merecíamos vencer contra o Cruzeiro e o clássico que poderíamos ter vencido. É sempre levantar a cabeça e buscar o resultado. Nos cobramos para um ajudar o outro e essa bola entrar.

TRABALHO NÃO FALTA

– A gente vem trabalhando no dia a dia, procuro ficar após o treino para aprimorar. Está faltando aquela última bola e temos que ter um pouquinho mais de sorte para essa bola entrar. Acredito que nesse domingo essa bola vai entrar e todo mundo vai voltar sorrindo.

DEDICAÇÃO E UM POUCO MAIS DE SORTE

– Em relação a bola não estar entrando isso vai muito do jogo, até por não estar faltando trabalho. Esse grupo se dedica nos treinos e jogos, mas a sorte vai comecar a olhar para o nosso lado. Esse grupo tem cara de vitorioso e quero fazer uma historia bonita de vitórias aqui e colocar o Botafogo no lugar que merece.

PÊNALTI CONTRA O FLUMINENSE

– O professor já deixa tudo certo na preleção e estava muito confiante. Pedi, mas entendi muito bem. Fiquei atento no rebote, tentei caprichar, mas ela acabou não entrando. Gosto de treinar os pênaltis, são decisivos nas competições de mata-mata. Tenho onze na carreira.

GRATO AOS TORCEDORES

– Normalmente os momentos difíceis sempre foram de muitas críticas e cobranças por onde passei e isso é normal. Nem sempre estarei na melhor forma possível ou do jeito que eu quero. Tenho muita gratidão, a forma que fui acolhido pelos torcedores. Falo com minha esposa que vou sempre honrar essa camisa e que sirva para nunca deixarmos muita raça e vontade em campo. Temos que respeitar essa torcida.

Fonte: Site oficial do Botafogo