O futebol brasileiro está dividido quando o assunto é a discussão dos direitos de transmissão em TV fechada do Brasileiro entre 2019 e 2024. Enquanto alguns clubes já fecharam ou negociam com a atual detentora do monopólio das transmissões no Brasil, outros negociam com o canal Esporte Interativo. Um grande ponto que preocupava os dirigentes dos clubes era o fato de que, em retaliação à adesão a uma outra alternativa para a TV fechada, a atual detentora do monopólio vetasse os clubes “insurgentes” nas negociações para a TV aberta. O Esporte Interativo teria apontado uma solução que teria agradado aos clubes. Entenda.

O canal Esporte Interativo – EI negocia com alguns clubes do futebol brasileiro os direitos de transmissão em TV fechada do Brasileiro entre 2019 e 2024. Um impasse nas negociações seria o temor dos dirigentes de que a atual detentora do monopólio retaliasse os clubes que assinassem com o canal Esporte Interativo, não negociando com esses os direitos de transmissão da TV aberta. O que seria prejudicial ao clubes, visto que apenas a Globo teria manifestado interesse em negociar a transmissão na TV aberta. O EI parece estar realmente disposto a quebrar o monopólio. Segundo apurado pelo jornalista Ricardo Perrone, em seu blog, o EI estaria disposto a comprar os jogos da TV aberta, caso os clubes não consigam negociá-los. A questão seria amarrada por meio de uma cláusula contratual no próprio contrato relacionado aos direitos de transmissão na TV fechada, no qual o EI se responsabilizaria pela aquisição dos direitos para TV aberta, desde que os clubes não consigam fazer a venda até o início do Brasileirão.

O EI não possuiria o interesse na transmissão dos jogos no sinal aberto, mas caso tenha que adquiri-los em função da cláusula contratual proposta, poderia repassar os direitos de transmissão a um baixo custo aos canais  interessados. O acordo envolveria os R$ 600 milhões pelos direitos de transmissão na TV fechada e mais aproximadamente R$ 210 milhões pelos direitos de transmissão na TV aberta, em caso de insucesso na comercialização pelos clubes. Segundo Ricardo Perrone, o EI exige a participação mínima de oito clubes para o fechamento das negociações. Sete clubes estariam em conversas avançadas: Santos, Fluminense, Grêmio, Internacional, Coritiba, Atlético-PR e Bahia.

Fonte: Torcedores.com