Após receber a boa notícia de que o tumor renal retirado em cirurgia na semana passada é benigno, Roger mostrou interesse em entrar para a política para ajudar pessoas que sofrem com câncer. No dia seguinte à coletiva, postou uma foto antiga que tinha ao lado de Jair Bolsonaro, que deverá ser candidato à presidência nas próximas eleições.

“Foi muito bom passar algumas horas com você, meu futuro presidente. Tô contigo sempre! Deus te abençoe com muita sabedoria para governar essa nação”, escreveu o jogador na postagem. Foi o suficiente para opositores do provável candidato atacarem o atacante do Botafogo com xingamentos e outros atos hostis. Chateado com o ocorrido, o jogador apagou o perfil na rede social.

Procurado pelo UOL Esporte, a assessoria do jogador disse que ele prefere não se manifestar nesse momento, mas confirmou que a atitude do jogador está diretamente ligada à perseguição recebida por internautas revoltados com a foto ao lado de Jair Bolsonaro.

A esposa de Roger, Elisabeth, no entanto, deu sua versão da história. Segundo ela, o marido não apoia Jair Bolsonaro e que a foto foi tirada após um pedido do posítivo há algumas semanas.

“Nós encontramos o Bolsonaro na rua, por acaso. A gente participa de uma célula na igreja e a nossa filha participa junto com a dele. E ele pediu para tirar uma foto, o Roger tirou. E postou em respeito ao cara, falou ‘meu presidente’ ou ‘futuro presidente’. Mas brincando. O Roger não tem partido, não apoia ninguém. A gente nunca vota, está sempre justificando porque está viajando, até fora do país”, disse Elisabeth ao UOL Esporte.

“As pessoas estavam pedindo muito para ele abrir, sempre teve uma conta privada. Aí ele decidiu abrir. E tinham fotos pessoais, do nosso dia a dia, minha e dele, de escola das crianças. E as pessoas começaram a printar as fotos e a nos xingar dizendo que não poderíamos tirar essas fotos. “Ah.. não pode tirar foto com alguém de outro time, não pode frequentar o restaurante tal porque é caro, ou o restaurante tal é ruim”, explicou.

Por fim, ela lamenta o momento em que o país atravessa. Uma simples foto com um político pode gerar grande dor de cabeça. “Hoje a gente não pode ter opinião, é criticado por qualquer coisa, não pode ter liberdade. A gente respeita a opinião das pessoas, mas as pessoas não nos respeitam. As pessoas acham que têm direito de fazer isso”, finalizou

Roger segue em recuperação da cirurgia da retirada do tumor renal e tem a expectativa de voltar aos treinamentos em um mês. A maios possibilidade, no entanto, é que retorne aos gramados apenas na próxima temporada.

Seu contrato com o Botafogo termina em dezembro, mas as partes já chegaram a um acordo e tem tudo encaminhado para uma renovação até o fim de 2020. Não há pressa para a assinatura já que o momento é de focar na recuperação do atleta.

Fonte: UOL