Não é novidade nenhuma que o sonho de todo jogador de futebol é defender a seleção do seu país. Em meio a milhares de atletas pelo mundo, poucos são os que tem o talento e a sorte de serem convocados. Um desses casos é o goleiro Jefferson, que vestirá pela primeira vez a Amarelinha em uma Copa do Mundo, no auge dos seus 31 anos.

Arqueiro do Botafogo, Jefferson acaba com um jejum de 16 anos sem jogador alvinegro vestindo a camisa da Canarinho no Mundial. Apesar de tanto tempo fora do torneio, a equipe carioca é recordista quando se trata de seder jogadores para a Seleção.

Diante desse marco e da grande fase que vive na carreira, o goleiro ressalta a importância que o clube tem na sua vida. “Eu estou vivendo um grande sonho aqui no Botafogo. Depois de 16 anos que o clube não levava um jogador para a Copa, e eu estou aqui reabrindo essa porta. Eu fico muito feliz e espero que, depois dessa minha convocação, muitos outros jogadores daqui possam estar seguindo na Seleção. Porque o Botafogo é um time de tradição, de história”, ressaltou.

Apesar de não ser o mais cotado para assumir a titularidade, devido a experiência de Júlio César, Jefferson não teme concorrência e afirma que está trabalhando forte para conseguir mais esse grande passo na carreira.

“São três grandes goleiros, não dá para dizer se vai ser um ou outro. A gente sabe da confiança que o Felipão tem nos três. Não tem ninguém com a vaga garantida e a gente vai trabalhar o máximo possível para ser titular. Mas a decisão é do Felipão. Independente de quem ele colocar, vamos respeitar e torcer pela Seleção”.

Ainda com a titularidade indefinida, o goleiro sabe que o importante é estar com o grupo e estar preparado caso seja a hora de entrar. Diante disso, Jefferson conta quais foram os fatores fundamentais para a tão sonhada convocação.

“Independente de estar jogando aqui ou lá fora, o importante é a regularidade do jogador. Eu, graças a Deus, desde que cheguei aqui no Botafogo, em 2009, consegui manter uma regularidade muito boa. E nesses três últimos anos consegui estar entre os melhores do Brasil. Acho que o Felipão observa muito isso. Eu tenho muito que agradecer ao Botafogo por estar tendo essa oportunidade de estar na Seleção”.

Fonte: Yahoo! Esporte Interativo