Agora paralisado por conta da pandemia do coronavírus, o Botafogo ainda busca engrenar na temporada. Em 12 jogos até aqui, um aproveitamento de 50% e uma frustrada tentativa de estrear a principal contratação do ano, Keisuke Honda, com o Nilton Santos lotado. Os prejuízos empilhados nos duelos no estádio poderiam dar uma freada graças à participação do japonês neste domingo, contra o Bangu, porém os portões estavam fechados.

O jogo pela terceira rodada da Taça Rio encerrou em 1 a 1, justamente com gol de Honda. Apesar do jogo do último fim de semana ter sido o de menor prejuízo quanto ao Estadual-2020, o clube, através de seu presidente, Nelson Mufarrej, já externou a tremenda lamentação pela potencial estreia do camisa 4 não ter gerado os lucros imaginados, anteriormente.

O total da despesa foi de R$ 41. 575,02, mas o Botafogo arcará com R$ 29.102,51 – o restante é de responsabilidade do Bangu. Para se ter uma ideia, todos os cinco jogos do clube como mandante no Carioca deixaram a soma do borderô no vermelho. No último, sem a presença da torcida, despesas operacionais, contas de consumo e segurança privada, por exemplo, tiveram custos consideravelmente menores. Já os R$ 100 mil do aluguel do estádio não foram necessários que saíssem dos cofres do clube (vide documento abaixo).

Em 2020, o jogo de maior prejuízo se deu contra o Boavista, pela primeira rodada da Taça Rio e encerrado com vitória por 2 a 1. Apenas 3.480 pagantes (e 4.241 presentes) foram ao Niltão, em dia que totalizou uma despesa de R$ 294.374,77 (veja todos os números abaixo).

Ano passado, o Glorioso sofreu com tais gastos, já que não conseguiu obter lucro em nem sequer cinco jogos como mandante. Mesmo com o público recorde, diante do Internacional, pela 36ª rodada do Brasileiro e tendo 30.596 presentes, houve prejuízo – na casa dos R$ 150 mil.

Aliás, na reta final do Brasileirão de 2019, a torcida abraçou o time e deu inúmeras demonstrações de paixão, mesmo com os direcionamentos de Alberto Valentim sob contestações. Neste ano, com as adesões ao programa de sócio-torcedor e mobilização pela chegada do Honda, foi jogado ainda mais fogo na relação passional.

Assim, quando o período inativo cessar, o escopo passa a ser intensificar a exploração de Honda e de uma guinada coletiva para que os números quanto ao Nilton Santos fiquem no azul, além das projetadas ações de marketing.

NÚMEROS (NO CARIOCA) EM 2020

– Botafogo 3×1 Macaé / Pagantes: 4.303 / Presentes: 5.310 / Renda: R$ 77.031,00 / Ingresso médio: R$ 17 / Saldo: prejuízo de R$ 270.175,77.

– Botafogo 2×1 Resende / Pagantes: 4.224 / Presentes: 5.225 / Renda: R$ 73.317,00 / Ingresso médio: R$ 17 / Saldo: prejuízo de R$ 275.705,72.

– Botafogo 1×0 Vasco / Pagantes: 1.725 / Presentes: 12.862 / Renda: R$ 241.940,00 / Ingresso médio: R$ 20 / Saldo: prejuízo de R$ 116.128,54 (de R$ 290.321,35).

– Botafogo 2×1 Boavista / Pagantes: 3.480 / Presentes: 4.241 / Renda: R$ 58.449,00 / Ingresso médio: R$ 16 / Saldo: prejuízo de R$ 294.374,77.

– Botafogo 1×1 Bangu (portões fechados) / Saldo: prejuízo de R$ 29.102,51 (de R$ 41. 575,02).

Fonte: Terra