Eventual queda para Série B: quais impactos na cota de TV e Botafogo S/A?

23 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Bandeira do Botafogo na sede de General Severiano em 2017
Vitor Silva/SSPress/Botafogo

Em 19º no Campeonato Brasileiro, o Botafogo luta contra um rebaixamento que pode afetar sua cota de TV e a transformação em S/A. O jornal “O Globo” falou sobre assuntos neste sábado, dia em que o time enfrenta o Internacional, às 19h, no Beira-Rio.

A primeira mudança é que até 2019 o clube grande que caía tinha garantido mais uma temporada com valores de Série A. Agora, é preciso optar entre receber R$ 6 milhões (cota igualitária entre as equipes) ou apostar no pay-per-view, que depende do percentual de torcedores assinantes. Esta segunda foi a escolha do Cruzeiro.

Como comparativo, em 2015, apesar de estar na Série B, o Botafogo recebeu mais da TV por todas as competições que em 2014: R$ 58 milhões a R$ 51 milhões. Esse cenário não se repetirá. Em 2019, as cotas televisivas representaram 53% das receitas do clube.

Em relação à Botafogo S/A, ainda não está claro qual será o impacto. Presidente eleito para os próximos quatro anos, Durcesio Mello conta com a transformação do futebol em empresa, com separação das demais áreas.

O modelo 2 de captação de recursos segue em funcionamento, liderado por Gustavo Magalhães, ainda sem mudar a apresentação para potenciais investidores externos. O Botafogo busca constituir dois fundos de investimentos, um para financiar a S/A e outro para pagar dívidas. Inclusive, seguem as negociações com credores.

Tanto essas negociações quanto os ativos a serem transferidos para investidores podem ser impactados pela permanência na Série A ou queda para a Série B, devido ao cenário de receita e valor de marca do clube.

Fonte: Redação FogãoNET e O Globo Online

Notícias relacionadas