Aos 28 anos, o lateral Edílson realizará o que considera um sonho. Ele é reforço assegurado pelo Corinthians para a próxima temporada e, nesse momento, favorito para ser titular. Com um histórico que o credencia ao rótulo de bad boy, ele tentará deixar para trás um histórico marcado por problemas disciplinares e pelo menos cinco dispensas.

Em quase todas as oportunidades anteriores por clubes de expressão, Edílson acabou afastado. Foi assim no Atlético-MG, em 2005, no Avaí, em 2007, no Atlético-PR, em 2011, no Grêmio, em 2011 e 2013, e recentemente no Botafogo. Neste último, a lista de dispensas ainda continha o zagueiro Bolívar, o lateral Júlio César e o atacante Emerson Sheik, outro que deve jogar pelo Corinthians em 2015.

A maior das confusões causadas por Edílson ocorreu justamente no clube em que foi formado. Do Avaí, ele acabou dispensado por briga generalizada em uma casa noturna de Florianópolis ao lado do meia Robinho, atualmente no Coritiba. Na época, o então treinador Alfredo Sampaio confirmou as razões da dispensa.

Depois de dar a volta por cima pela Ponte Preta, Edílson chegou ao Grêmio com moral, mas alternou momentos bons e ruins. Em 2010, vivia bom momento, mas rompeu os ligamentos do joelho esquerdo.

Já em 2011, por problemas disciplinares, acabou afastado por Celso Roth e foi emprestado para o Atlético-PR. Por lá, durou quatro meses e também foi dispensado pelo coordenador Antônio Lopes. O motivo foi falta de comprometimento.

Com contrato em vigor, Edílson retornou ao Grêmio, mas durou pouco tempo. Titular com Vanderlei Luxemburgo em 2012, ele agrediu o zagueiro palmeirense Henrique em semifinal da Copa do Brasil e recebeu gancho de quatro jogos. A partir dali, saiu dos planos e foi dispensado em janeiro de 2013. Na chegada ao Botafogo, porém, acusou o antigo treinador.

“Que não tenha cartas marcadas que nem no Grêmio. Coisas que aqui no Botafogo acontecem, lá não acontecem. Aqui, jogador é jogador, treinador é treinador e diretor é diretor. Lá não é isso”, declarou Edílson, com insinuações de que Luxemburgo se envolvia em negociações de atletas.

Destaque do Botafogo no primeiro turno do último Campeonato Brasileiro, Edílson marcou até na Arena Corinthians. Nos minutos finais, graças a ele, os botafoguenses buscaram o empate por 1 a 1. Meses depois, porém, acabaria dispensado mais uma vez por problemas disciplinares. Ele deve assinar contrato de um ano com o Corinthians e chegará sem custos.

Fonte: UOL