Em entrevista exclusiva à Super Rádio Tupi, dois ex-jogadores de Botafogo e Goiás, que fizeram história na última década dentro de ambos os clubes falaram sobre o que esperam do confronto de logo mais, onde os times se enfrentam em Juiz de Fora, às 22h (de Brasília), em partida válida pela quinta rodada do Brasileirão.
Um é o atacante Dimba, que em 1997 fez o gol do título carioca do Botafogo em cima do Vasco na final histórica onde Edmundo provocou a torcida alvinegra ao rebolar em frente à bandeirinha do escanteio antes do final do jogo. Em 2003, o jogador foi artilheiro do Campeonato Brasileiro com a camisa do Goiás, anotando 31 gols e sendo, até então, o jogador com maior número de gols em uma só edição da competição (no ano seguinte fora ultrapassado por Washington, com 34).
“Eu tive uma passagem muito satisfatória pelo Botafogo, onde me identifiquei bastante e consegui ser campeão da Taça Guanabara, da Taça Rio e do Campeonato Carioca e depois também tive uma passagem marcante pelo Goiás, onde fui campeão goiano e artilheiro do Brasileirão. São dois clubes que guardo no meu coração e que defendi com maior prazer. Até hoje, quando tem jogo dos dois times, eu procuro sempre assistir e torcer. Acho que esse será um jogo muito bom de se assistir porque as duas equipes são muito boas, apesar do Botafogo ter tido um início de campeonato sem conquistar as vitórias, mas agora vem de um resultado significativo (goleada em cima do Criciúma) e o Goiás é uma equipe muito bem montada e muito bem distribuída dentro de campo e que está sempre dando trabalho nas competições. Tem tudo pra ser uma grande partida”, comentou o ex-artilheiro.
O outro é o volante Túlio, que atuou no clube goiano entre 1995 e 2001, sendo campeão goiano seis vezes. Em 2003 chegou ao Glorioso para disputar a Série B e subir com o clube para a Série A, sendo assim muito querido pela torcida do Botafogo por ser um jogador muito voluntarioso dentro de campo. Em General Severiano permaneceu até 2008, com uma breve saída entre 2005 e 2007. Chamado de Túlio Guerreiro pelos alvinegros, o jogador de 38 anos diz estar com o coração dividido, mas caindo um pouco mais para o lado da Estrela Solitária.
“São dois clubes que marcaram toda a minha carreira, pois pelo Goiás eu fiz mais de 300 jogos e quase o mesmo número também pelo Botafogo. Então, sem dúvida nenhuma são os clubes onde mais me identifiquei. Assistir a essa partida me faz ficar com o coração dividido, como eu falei uma vez quando o Botafogo veio jogar na minha cidade (Brasília) contra o Goiás. Aliás, esta partida quase veio ser disputada em Brasília, mas, foi para Juiz de Fora, coisa muito boa para o Botafogo que tem uma torcida imensa lá. Acho que será um jogo equilibrado, pois ambos estão tentando se firmar no campeonato, no entanto acho que a vantagem ainda é um pouco a favor do Botafogo, porque o Goiás tem muita dificuldade em ser um time ofensivamente forte”, disse o volante.
O clube carioca não vence o rival desta quarta-feira (14/05) desde 2010, quando ganhou por 3 a 0 no Engenhão, com gols de Lúcio Flávio, Somália e Herrera. O último confronto entre os dois terminou com vitória esmeraldina, por 1 a 0 no Serra Dourada, no segundo turno do último Campeonato Brasileiro.
Fonte: Super Rádio Tupi