O Botafogo precisa entender – leia-se diretoria e Comissão Técnica- que os pais de hoje não colocam mais o filhos de castigo. O Sassá precisa entender que esse negócio de “bad boy” é tão antigo quanto cantar “treinar para que”. Jogadores dão problemas e a melhor forma de resolve-los é tê-los por perto.  Exclui-lo de uma relação não dá ao Sassá o peso da responsabilidade, algo de que precisa.

Fonte: Blog do PC Vasconcellos - SporTV.com