Aos 18 anos, Dória viveu uma grande temporada no Botafogo, campeão carioca e classificado para a Libertadores. Especulado a cada janela de transferências para sair, o zagueiro avisa que não vai perder o foco.

– A cada hora inventam uma coisa, dizem que eu vou para algum lugar. Estou tranquilo, não vou deixar isso mexer com minha concentração – comentou ao site Globoesporte.com.

– Nós fizemos história com esta vaga e queremos mais – disse.

Dória botafogo férias (Foto: Arquivo Pessoal)
Dória se arrisca no golfe durante as férias
(Foto: Arquivo Pessoal)

Confira mais partes da entrevista do zagueiro:

Afirmação no time, título carioca, títulos com a seleção sub-20, vaga na Libertadores… foi um ano especial, não? Ainda teve o casamento…

– Realmente foi um ano bom demais em todos os sentidos. Além da vaga na Libertadores, depois do objetivo de ficar entre os quatro no Brasileiro, fui campeão em meu primeiro Campeonato Carioca. Também fui campeão com a seleção sub-20, além de ter sido eleito o melhor zagueiro em uma e o melhor jogador em outra. Não tenho do que reclamar, só aconteceram coisas boas.  

Você teve uma valorização de mercado estimada em 500% do ano passado até agora. Como lida com isso?

– Independentemente de números, é muito bom saber que seu trabalho vem sendo reconhecido, que o que o que estou fazendo tem sido importante. Isso me dá mais força para continuar e tentar evoluir ainda mais.

Dória botafogo casamento (Foto: Arquivo Pessoal)
Dória em seu casamento, que teve Bolívar e Sassá como dois dos padrinhos (Foto: Arquivo Pessoal)

Em 2014 tem Libertadores. O que pode significar esta experiência?

– É uma competição complicada porque nem sempre temos informações sobre os adversários, muitas vezes não os acompanhamos, só durante a Libertadores mesmo. Mas é um campeonato com um espírito diferente dos outros. Faltas que seriam marcadas aqui talvez não fossem lá. É mais pegado, todo mundo quer ganhar. O campeão tem a chance de disputar um Mundial, o que é muito importante. Nós fizemos história com esta vaga e queremos mais.

Fonte: Redação FogãoNET