A Taça Rio ficou para trás. Depois de deixar escapar o título do torneio neste último final de semana, o Botafogo vira a chave de vez para a sequência dentro da Libertadores. E a expectativa – segundo o lateral-esquerdo Gilson – é de ter a terceira vitória seguida e a liderança garantida do grupo A da competição.

– Queríamos muito conquistar essa taça. Infelizmente, não conseguimos. Mas faz parte do passado e devemos estar pensando no nosso compromisso. Eles (Barcelona-ECU) jogaram um clássico e perderam. Os nosso companheiros que ficaram devem ter acompanhado. É uma equipe muita rápida, em que devemos ter muita atenção. Jogando em casa, eles são muito fortes – analisa Gilson.

O lateral-esquerdo será um dos atletas do elenco que viajam novamente para se juntar ao restante do grupo no Equador. Ele voltou ao Brasil para completar o grupo na decisão do turno do Carioca e admitiu que a maratona alvinegra tem sido desgastante nesses últimos dias. Mas nada que desanime o grupo.

– Essa maratona está, sim, bem desgastante. Em sete dias, nós viajamos para Colômbia, o pessoal jogou, depois tivemos a final da Taça Rio, chegamos na véspera… é desgastante, mas tivemos todo o apoio extra-campo da fisioterapia e fisiologia para entrarmos em condição boa – completa o jogador do Botafogo.

Nesta segunda-feira, apenas seis atletas estiveram em campo para a atividade debaixo da chuva: foram eles Luis Ricardo, Fernandes, Yuri, Vinícius Tanque e Renan Gorne. O lateral Maicon – que segue recuperando a forma física no clube – treinou com bola com os cinco atletas alvinegros pela primeira vez. O técnico Jair Ventura – que viaja para o Equador nesta terça – esteve no Nilton Santos.

Fonte: Terra