Final entre Botafogo e Vasco divide coração de ex-campeão Luisinho Quintanilha

Compartilhe:

Os anos de 1989 e 1990 não saem da memória alvinegra do ex-volante Luisinho Quintanilha, assim como os anos dourados entre 92 e 94, e 97 e 2000, quando ele conquistou muitos títulos pelo Vasco . Esta divisão no pensamento também está presente no coração do ex-jogador quando o assunto é a final do Campeonato Carioca do próximo domingo, entre o time cruzmaltino e o Botafogo.

“Acabo ficando dividido nessa final, não sou muito disso, mas dessa vez eu sofro. Cheguei ao Botafogo em 79, justamente quando o clube estava se transferindo e peguei aquela transição difícil, mas aquilo deu um sabor especial ao título de 89. Isso foi muito importante pra mim. Conheci muita gente que me ajudou na minha formação como pessoa. No Vasco, consegui chegar à Seleção Brasileira , conquistei muitos títulos e fiz uma carreira bonita. Fiquei dez anos por lá e tenho respeito pelo torcedor até hoje, admiro a maneira como o time reage e a torcida também”, destacou Luisinho.

A carreira teve ainda passagens pelo Corinthians e Celta de Vigo, na Espanha. O ex-volante admite que, se não tivesse saído do Vasco após o tricampeonato estadual (92-93-94), a Copa do Mundo poderia ter sido uma realidade. “Se eu tivesse permanecido no Vasco, minha chance de convocação seria muito maior. Fui chamado em amistoso, mas minha ida para Vigo atrapalhou um pouco”, lamentou Luisinho Quintanilha, que dedica o tempo ao estudo do futebol .

“O Campeonato Estadual passou a ser uma preparação para a temporada. Vejo muitos jogos e acho que os Estaduais não podem acabar. O campeonato ganha charme quando os times são desenvolvidos. O que precisa é um debate sobre os formatos”, disse Luisinho, que aguarda uma chance como treinador.

Pelo Botafogo, o ex-volante ganhou os Estaduais de 89 e 90, formando dupla com Carlos Alberto Santos. No Vasco, foram quatro Estaduais (92,93,94 e 98), dois Brasileiros (97 e 2000), uma Libertadores (98) e um torneio Rio-São Paulo (99), atuando com Leandro Ávila até 1994 e depois com Nasa nas conquistas seguintes.



Fonte: Terra
Comentários