Fla e Botafogo têm nos goleiros a esperança de classificação: Felipe x Jefferson

Compartilhe:

O clássico entre Botafogo e Flamengo tem um histórico recente de empates que impressiona. Dos últimos 35 jogos, 20 terminaram assim. E a repetição deste resultado nesta quarta-feira, às 21h50, no Maracanã, levará a decisão da vaga na semifinal da Copa do Brasil para os pênaltis. E aí podem entrar em cena dois personagens que têm caracterizado suas carreiras em defender pênaltis.

Felipe tem o temperamento mais explosivo. Diferentemente de Jefferson, que tem na concentração a maior aliada. Em semana de jogo decisivo, como o de hoje, a preparação não muda.

– A motivação vem de dentro de cada jogador. Qualquer tipo de jogo já é motivacional o suficiente. Não tem nada de especial feito para estes tipos de partidas – explicou o preparador de goleiros do Flamengo, Wagner Miranda.

Já o treinador de goleiros de Jefferson, Flávio Tenius, conhece bem como é o temperamento do camisa 1 alvinegro. Quando o jogador subiu para o profissional do Cruzeiro, em 2001, era ele o preparador do time mineiro. A rotina e o entrosamento dos dois passam por análises de vídeos e muito estudo sobre os batedores adversários. Jefferson costuma receber dados de cada cobrador que vai enfrentar. O que não deixa de ser uma das causas para tanto sucesso na hora de defender os pênaltis.

– Por mais que tenha todos dados, não posso tirar a autonomia do goleiro se ele, por percepção, resolver mudar a escolha de lado na hora. Depende da percepção dele – ressaltou Flávio Tenius.

Fonte: Lancenet!

Comentários