Gabriel faz aniversário e, suspenso, quer vitória de presente

Compartilhe:

Apesar de ter levado o terceiro cartão amarelo no clássico de domingo, diante do Fluminense, domingo, em Recife, Gabriel, volante do Botafogo, tem muito o que comemorar. O jogador, que faz aniversário nesta quarta-feira, 22 anos, tem sido um dos grandes destaques da equipe alvinegra desde o fim da temporada passada. Hoje, é titular com o técnico Oswaldo de Oliveira, além de ser um dos jogadores mais queridos pela torcida botafoguense.

No clássico de domingo, Gabriel deixou o campo da Itaipava Arena Pernambuco como o jogador que mais desarmou os adversários, foram oito em 12 praticados pelo Botafogo. Em conversa com o LANCE!Net, ele falou sobre o bom momento que vive no clube.

– Este tem sido um ano muito especial. O trabalho no meio-campo exige um preparo físico muito bom. Tenho me dedicado e ajudado o time a conseguir bons resultados. Até agora perdemos apenas duas partidas, vencemos um clássico contra um postulante ao título e vamos brigar por esta conquista também – disse Gabriel.

Apesar de se dedicar muito a marcação, Gabriel não é conhecido por ser um jogador violento. Todavia, no clássico contra o Fluminense foi advertido pela terceira vez no Brasileirão, ficando suspenso para a próxima rodada. O jogador não escondeu a tristeza por não poder estar em campo diante do Grêmio, em Porto Alegre, no domingo.

– Antes do jogo nos passaram que o árbitro dava muitos cartões, é uma característica dele. Fiquei um pouco chateado, sempre quero ajudar. Como não será possível, vou treinar bem durante a semana. Quem entrar vai fazer o melhor. Vencer lá é difícil, mas vitórias fora de casa são importantes para que consigamos o título no fim do ano – afirmou, pedindo a vitória aos companheiros de presente de aniversário:

– Eu gostaria estar em campo, mas como não será possível, quero a vitória de presente (risos). Vou ficar em casa com a minha família e torcendo por eles.

Além da marcação, Gabriel vem se destacando como um jogador de bom passe. No segundo ano como profissional, ele acredita que o amadurecimento tem sido fundamental para o crescimento do seu futebol.

– Com o tempo vamos nos sentindo mais confiantes para arriscar as jogadas mais ofensivas, aprendendo a hora de sair mais para o jogo ou ficar mais. Isso faz parte do aprendizado – disse.

Fonte: Lancenet!

Comentários