Gabriel: orgulho de ‘carregar o piano’ para Seedorf e Lodeiro

Compartilhe:

A maioria dos grandes ídolos do futebol mundial são atacantes ou meias de grande habilidade, até porque costumam fazer gols e belas jogadas. Mas, no Botafogo, um jovem largou a oportunidade de ‘aparecer para a torcida’ e virar um carregador de piano. Gabriel, meia na base, passou a ser volante para ajudar Oswaldo de Oliveira e companhia a conquistar seus objetivos. Foi o preço do sonho de se tornar jogador profissional.

Feliz por servir de suporte para Seedorf e Lodeiro, Gabriel garante sentir muito orgulho do que se tornou. Para ele, a escolha não poderia ter sido mais acertada.

– Tenho muito orgulho do que sou hoje. Ter escolhido mudar para volante e carregar o piano para os craques, como Seedorf, Lodeiro e Fellype Gabriel. Deixo para eles serem os protagonistas e fico feliz em poder ajudar o Botafogo.

Por ter tido a experiência de ser um jogador de ataque, Gabriel é, às vezes, utilizado para funções mais ofensivas. Com bom humor, ele revela que o técnico Oswaldo de Oliveira o utilizou quase como um meia no duelo contra o Cruzeiro, no sábado:

– Gostei demais dessa função, me adaptei muito bem, dá para lembrar o tempo que eu era meia. O grande responsável disso é o Oswaldo, me dando mais liberdade para jogar. Contra o Cruzeiro, por exemplo, ele deu uma recuada no Lodeiro para terceiro volante e me deu liberdade para jogar também, acabou quebrando o time deles. Ele é um cara muito inteligente – disse o camisa 15, agradecendo o apoio da torcida nos últimos jogos:

– Fico feliz porque a torcida também vem reconhecendo o nosso esforço. Então mesmo sendo formiguinha, nós aparecemos para todo mundo. O papel de protagonista deixa para eles, mas se nós ganharmos, vou ficar feliz da mesma maneira.

 


Fonte: Lancenet!
Comentários