A torcida do Botafogo vive a expectativa pela reprise no próximo domingo do jogo do título do Campeonato Brasileiro de 1995, em cima do Santos. Nesta sexta-feira, o artilheiro daquela equipe, Túlio Maravilha, bateu um papo com outro ídolo, o ex-zagueiro Gonçalves, no Instagram, e ambos relembraram grandes momentos da conquista histórica.

Continua Depois da Publicidade

Bolsas, mochilas e carteiras para torcedores do Botafogo na loja do FogãoNET/Estilo Piti

Gonçalves foi perguntado por Túlio de alguns jogos marcantes da campanha do título, e Gonçalves relembrou a vitória do Botafogo por 3 a 1 sobre o Flamengo, no Castelão, em Fortaleza, pela primeira fase. Ali, segundo o ex-zagueiro, a torcida e a imprensa perceberam que o Glorioso poderia, sim, ser campeão em dezembro.

– Foi emocionante, vimos que a torcida estava dividindo o Castelão meio-a-meio. Estava lotado, eram 40 mil botafoguenses e 40 mil flamenguistas. Ali podemos ter noção da força da torcida do Botafogo no Nordeste. O Flamengo era o favorito com o “ataque dos sonhos”, Sávio, Romário e Edmundo, que virou o “ataque dos pesadelos” (risos). E eu tinha uma ansiedade grande em jogar contra o Flamengo. A imprensa estava muito eufórica, estavam badalando muito o time deles, mas foi 3 a 1 e poderia ter sido 4 a 1 se você, Túlio, não quisesse sair driblando todo mundo antes de fazer o gol – recordou Gonçalves, que marcou um gol no clássico, provocando o amigo.

Continua Depois da Publicidade

Túlio Maravilha também guarda com muito carinho o jogo e deixou sua marca, abrindo o placar – Marcelo Alves fez o terceiro, enquanto Edmundo descontou para os rubro-negros.

– O Apolinho (Washington Rodrigues) era o treinador do Flamengo, lembro bem que entrevistaram ele depois do jogo e ele admitiu: “Foi uma exibição intocável deles, o Botafogo matou o nosso time do inicio ao fim, e para parar o ataque do Botafogo só com uma AR-15.” Nós merecemos e o Apolinho reconheceu aquilo – lembrou Túlio.

Continua Depois da Publicidade

‘Flamengo foi passear de barco na véspera’

Gonçalves aproveitou também para relatar um episódio que serviu de incentivo aos jogadores do Botafogo naquele clássico. Segundo ele, na véspera, atletas do Flamengo fizeram um passeio de barco pelas praias cearenses, fato que rendeu mais uma arma ao técnico Paulo Autuori.

– Na véspera do jogo, o Romário e outros jogadores foram passear de barco em Fortaleza, você lembra disso? O Autuori até lembrou disso na preleção, falando que a impressão que eles passavam é de que iriam ganhar de qualquer jeito. Aquilo ali deu um gás a mais para a gente, motivou mais a nossa equipe. Entramos mordidos e demos um chocolate – contou Gonçalves.

Continua Depois da Publicidade

Veja no vídeo o bate-papo entre Túlio e Gonçalves:

Continua Depois da Publicidade
Fonte: Redação FogãoNET
Continua Depois da Publicidade