Rodrigo Pimpão teve uma semana agitada. Na terça-feira, marcou o gol da vitória do Botafogo sobre o Bangu, no Nilton Santos — seu primeiro gol no Estadual e segundo no ano. No dia seguinte, o jogador de 30 anos festejou o nascimento de Manuela, sua primeira filha — ele e a mulher, Fernanda, já são pais de Davi, de 5 anos.

— Manu nasceu grande, com quatro quilos. Veio ao mundo para nos dar muitas alegrias. Espero que ela veja muitos gols meus pelo Botafogo. O de terça saiu na hora certa — disse Pimpão, que homenageou a menina com o gesto de embalar um bebê na comemoração contra o Bangu.

Contando as duas passagens pelo Alvinegro, o atacante chega à quarta temporada no time como titular absoluto. Sempre em alta com os técnicos que passaram pelo clube, ele iniciou todos os jogos do ano até aqui — o que deve se repetir no domingo, no confronto com o Volta Redonda, no Raulino de Oliveira, pela quinta rodada da Taça Rio.

Depois de desempenhar papel imprescindível no ano passado, fazendo gols decisivos e ajudando também na marcação, Pimpão vinha convivendo com protestos da torcida nas últimas semanas. Mas espera que a situação mude a partir de agora.

—Futebol é momento, não guardo nenhum rancor. Talvez a torcida me cobre justamente pelo que demonstrei na Libertadores, no ano passado. Espero voltar a ajudar o time, a fazer gols decisivos e conquistar títulos, porque é isso que fica marcado na história — analisou Pimpão, que marcou cinco gols na Libertadores de 2017, três em confrontos eliminatórios.

Fonte: Extra Online