Homem-Clássico, Rafael Marques se entende com torcida alvinegra e adota o Rio

Compartilhe:

Rafael Marques precisou de tempo, e não foi fácil manter a serenidade. Aos 30 anos, ele superou as vaias, o jejum de gols e a chacota de que virou alvo para se transformar no artilheiro do Botafogo em 2013, com 19 gols, com um retrospecto extremamente positivo em clássicos, ajudando a equipe a se aproximar da volta à Libertadores, competição que o Alvinegro não disputa desde 1996.

Seus gols continuam sendo determinantes. No domingo, ele marcou o da vitória por 2 a 1 sobre o Flamengo, no Maracanã, e chegou a 10 na tabela de artilheiros do Campeonato Brasileiro, que tem Éderson, do Atlético-PR, com 15, como líder. Ganhou até uma brincadeira dos torcedores na internet, que fizeram uma montagem com o jogador como o Homem-Clássico.

– Você nunca pode desistir do seu sonho, independentemente do que estiver acontecendo. Na fase que passei, continuei trabalhando, sendo a mesma pessoa. Nunca cheguei mal-humorado. Dava apoio mesmo quando quem precisava de apoio era eu – disse Rafael Marques.

Nesse seu crescimento, a adaptação ao Rio de Janeiro foi fundamental. Depois de passar um ano em um apartamento, conseguiu comprar uma casa. Com mulher e filha, se sente tão bem que já pretende morar na cidade quando encerrar a carreira. Ao mesmo tempo, entendeu melhor o que se passa na cabeça do torcedor.

– Estou me sentindo mais à vontade e conseguindo mostrar o futebol que apresentei lá fora. Passei a entender melhor o torcedor do Botafogo, que é supersticioso e cobra muito. Mas eles também passaram a me entender. Mas aqui no Rio não tem como não se adaptar – afirmou.

rafael marques botafogo mosaico (Foto: Thales Soares)Atacante fala sobre o seu atual momento com a camisa do Botafogo (Foto: Thales Soares)

Os gols passaram acontecer com mais naturalidade e, contra o Flamengo, o jogador esteve perto de fazer um daqueles espetaculares ao pegar de primeira um cruzamento de Seedorf. A bola bateu na trave. Dos 19 que fez em 2013, ele apontou o da vitória por 3 a 2 sobre o Vasco como o preferido.

– Se aquele chute entra seria mais bonito. Pratico nos treinamentos e tenho esse chute como característica. Mas fico com aquele contra o Vasco pelo momento e pelo belo gol que foi – comentou o atacante, que fez seis gols em 10 clássicos este ano.

Apesar de falar sempre em nome do grupo, Rafael Marques também pensa nos objetivos pessoais. Ele acredita possibilidade de brigar pela artilharia e considera o seu desempenho positivo, principalmente por jogar mais recuado nos últimos tempos.

– Acho uma média boa. Não sou um atacante, não bato pênaltis nem faltas e tenho 10 gols. É um bom número – disse Rafael Marques, sexto maior finalizador do Campeonato Brasileiro, com 62 tentativas.

A música “Carimbador Maluco”, de Raul Seixas, cantada pela torcida do Botafogo, embala os gols de Rafael Marques. Com o refrão decorado, espera ouvir ainda mais vezes no ano. Quem sabe já no confronto com o Vitória, quinta-feira, em Salvador.

– Espero que possa continuar por mais tempo. Sair vitorioso com um gol em clássico é especial. Esse é o melhor momento da minha carreira e quero desfrutar ao máximo. Mas sem esquecer tudo que passei, tirando como exemplo – afirmou.

Fonte: Globoesporte.com

Comentários