O Botafogo inicia a pré-temporada em Várzea das Moças, Niterói, completo. Não que o período de contratações tenha terminado. Mas, com a chegada de Jefferson, que se reapresenta nesta segunda, a base que vai disputar a temporada 2015 está formada. Caberá ao goleiro liderar, dentro e fora dos campos, o jovem time que vem sendo formado. Para quem já foi ídolo no clube, a opinião é igual: ao manter um jogador de identificação com a torcida, o Alvinegro deu o primeiro passo na luta pela volta à Série A.

— O Botafogo fez certíssimo de conservar um ídolo. Isso dá corpo e alma ao time. Quando você tem alguém formado ali, que conhece cada caminho do clube, a torcida respeita. E os jogadores ficam com menos medo do que vem pela frente — analisa o ex-atacante Donizete.

O perfil dos reforços até agora (já foram 11) mostra que, na linha, o Botafogo terá uma equipe jovem e com experiência em Série B. Aos 32 anos e titular da seleção, Jefferson repetirá o caminho de Marcos, que em 2003 foi o grande nome do Palmeiras na Segundona — um ano após a conquista da Copa.

— Isso é demonstração de amor pelo clube e de confiança de que vai voltar (à Série A) rapidamente — elogia Amarildo, o Possesso.

Com permanência garantida, Jefferson deve chegar à marca de 400 jogos pelo clube ainda este ano e entrar na lista dos dez que mais vestiram a camisa do clube. Um prêmio em um ano tão delicado.

— Na Segunda Divisão, você precisa começar bem já na defesa. E se começa com um goleiro como o Jefferson, tranquiliza a todos — diz Jairzinho.

Fonte: Extra Online