O LANCE! segue nesta quarta-feira a série especial com a retrospectiva do ano do Botafogo. O torcedor teve uma certeza em 2018: Igor Rabello presente como titular e dando conta do recado na zaga do Botafogo. Dentre os clubes da Série A do Campeonato Brasileiro, ninguém atuou mais do que Igor Rabello na temporada recém-encerrada. Ao todo, o camisa 2 do Alvinegro entrou em campo em 61 oportunidades, só ficando de fora em uma partida, quando esteve suspenso.

Aos 23 anos, Rabello teve um ano de consolidação. Nos primeiros jogos, teve o jovem Marcelo Benevenuto como companheiro de dupla, ainda com Felipe Conceição. Com Alberto Valentim, o parceiro só tornou-se o Carli a partir da semifinal do Estadual. Ambos voltaram à boa fase de 2017 e terminaram o Carioca em alta, sobretudo após o título.No Brasileirão, o General, como é conhecido pelos botafoguenses, manteve a ótima forma, inclusive com gols importantes, como diante do Vasco e Palmeiras. O defensor, que é bacharel em Educação Física, cuja designação foi obtida em meados de 2017, encerrou a temporada com incríveis 5550 minutos jogados, o que dá uma média de 88,7 minutos por partida do Botafogo.

Tamanha regularidade deixou Igor Rabello ainda mais em evidência no mercado, nacional e internacional. No meio do ano, cabe lembrar, o zagueiro rejeitou uma proposta de 6 milhões de euros (cerca de R$ 25,4 milhões) do Akhmat Grozny, da Chechênia. Já por agora, é o Atlético-MG quem tenta tirá-lo do Botafogo, que, segundo a “Globo”, ofereceu mais de R$ 12 milhões por Rabello. Por ser um dos principais ativos do Glorioso, é possível que saia para aliviar os cofres do clube carioca.

O ANO DE IGOR RABELLO

SOBE – GENERAL INCANSÁVEL
Não é à toa que grandes clubes do cenário brasileiro querem recrutar Igor Rabello para a próxima temporada. O zagueiro simplesmente esteve em 61 dos 62 jogos do Botafogo na temporada, passada por ele em alto nível. Sequer se lesionou em 2018.

DESCE – ACELERA!
Igor Rabello certamente foi o jogador mais regular do Botafogo. Além de só ter desfalcado em um jogo, não deixou a desejar na parte técnica ou tática. Como um ponto negativo é necessário, dá para afirmarmos que a velocidade do zagueiro ainda não é a ideal para o mesmo ir à Seleção, por exemplo.

Fonte: Terra