​O Botafogo gostou de disputar a Libertadores. Depois de uma campanha empolgante, que se encerrou nas quartas de final com uma derrota para o Grêmio, o elenco fez um pacto para conseguir retornar a competição em 2018, o que seria inédito ao clube que nunca disputou o torneio por duas temporadas seguidas. Faltando 12 rodadas para o fim do Campeonato Brasileiro, a calculadora já se tornou aliada do elenco nesta caminhada pela vaga no G-6.

O cálculo parece simples, e o Nilton Santos terá participação fundamental nessas contas. Até o fim do Brasileirão, o Botafogo jogará seis vezes em casa. Se somar os 18 pontos possíveis, o clube carioca alcançará os 58 pontos, margem que foi suficiente em 2016 – O Atlético-PR se classificou com 57, na 6ª colocação.

O desafio é conseguir fazer o papel de casa com perfeição até o final do ano. Neste Campeonato Brasileiro, o Botafogo já perdeu pontos importantes levando gols no fim e para adversários da parte inferior da tabela. O zagueiro Igor Rabello falou sobre a importância da equipe não sofrer novo apagão, não se “iludir” com o mau momento do adversário e vencer as partidas restantes como mandante.

“Perdemos alguns pontos importantes em casa, mas também ganhamos fora. Acontece apagão, assim como tivemos contra São Paulo e Vitória. Não podemos deixar acontecer mais. Aqueles dez minutos finais que não pode dar mole. Se ganharmos todos em casa, temos grandes chances de classificar para a Libertadores. Essa de times lá embaixo não existe, estão todos querendo vencer, querendo sair dessa situação difícil”, disse.

Nesta quarta-feira (11), o Botafogo volta a atuar em casa e mais uma vez contra um adversário da parte de baixo. O confronto é contra a Chapecoense, às 19h30 (de Brasília), pela 27ª rodada.

Neste Brasileirão, a equipe ainda atua no Nilton Santos contra Corinthians, Fluminense, Atlético-PR, Atlético-GO e Cruzeiro. No momento, o Alvinegro está na sexta colocação do Campeonato Brasileiro com 40 pontos.

Fonte: Esporte Interativo