Momento difícil de se entender pelo que jogamos em toda a Libertadores. Essa trajetória se iniciou em 2015, quando estávamos na série B. Passando por 2016, como candidatos ao rebaixamento e no final, lá estávamos no G6. Estive fora durante um certo período e houveram mudanças no elenco, alguns atletas se foram, outros chegaram, assim como eu que voltei para o Botafogo; mas o espírito botafoguense se manteve, espírito esse que se sente quando você entra neste grupo dedicado e com qualidade. Formou-se aqui uma grande família e vamos estar sempre juntos para tudo que acontecer, perdendo ou ganhando. Neste momento é que se separam os homens dos meninos, mostra-se homem quem passa por situações como esta e eu sei que em nosso grupo só existem homens! Sairemos da Libertadores de cabeça erguida, mais unidos do que entramos, certos de que fizemos o nosso melhor e com a certeza de que honramos essa camisa gloriosa. Daqui para frente é 100% do pensamento no Brasileiro, para que voltemos a Libertadores ano que vem. Ontem não foi o fim desta história, ela continuará sendo escrita! O próximo tabu a ser quebrado é classificar o Botafogo pela segunda vez consecutiva, algo que nunca aconteceu em nossa história! #VamosBotafogo #NãoSeCompara

A post shared by Igor Rabello (@igorrabellooficial) on

Fonte: Instagram do Igor Rabello