Dois lances no segundo tempo do clássico entre Botafogo e Vasco poderiam mudar o resultado da partida. Um puxão de Ramon em Kieza, dentro da área, e uma bola desviada por Pimpão após escanteio, que bateu no braço de Yago Pikachu. O atacante do Glorioso reclamou que a arbitragem não assinalou as penalidades, mas alertou que o Botafogo não pode mais levar gols “bestas”.

“Não sei como os árbitros estão levando essa situação de quando a bola bate na mão dentro da área. A bola nitidamente pegou na mão do Pikachu, mas a decisão é deles (dos árbitros). Teve o lance do Kieza também. Não queríamos o empate, mas temos que melhorar e não levar gols bestas como estamos tomando”, declarou.

Autor do gol alvinegro e destaque do time na partida, Luiz Fernando comemorou o tento, mas também ficou na bronca com a arbitragem.

“Sim, nós criamos mais chances, tiveram dois pênaltis. No lance do Pikachu, o juiz deu nada. Chegamos muito, tivemos oportunidades. Agora temos que trabalhar, temos um jogo difícil contra o Ceará. Graças a Deus, consegui acertar aquele chute”, disse.

Rabello minimiza

Já o zagueiro Igor Rabello minimizou a não marcação dos pênaltis pelo árbitro Ricardo Marques Ribeiro e focou no próximo duelo da equipe, contra o Ceará, na próxima segunda-feira (15), às 20h (de Brasília), na Arena Castelão.

“Não tem que ficar justificando, falando. Temos que focar. Infelizmente não conseguimos ganhar. Vamos trabalhar para jogar contra o Ceará”, concluiu o defensor.

Com o empate, o Botafogo segue na 12ª colocação do Campeonato Brasileiro, agora com 34 pontos conquistados. Coincidentemente, o time comandado por Zé Ricardo tem apenas quatro a mais que o Ceará, próximo adversário e primeiro time na zona de rebaixamento, mas que conta com um jogo a menos devido a partida adiada contra o Cruzeiro.

Fonte: Esporte 24 Horas