Dentro de campo, Botafogo e Fluminense decidem neste sábado, às 18h30 no Engenhão, uma vaga na final do Campeonato Carioca. Na beira do gramado, o duelo coloca frente a frente dois treinadores com perfis parecidos. Intelectuais, o alvinegro René Simões e o tricolor Ricardo Drubscky já escreveram livros, nos quais contam histórias de inspiração, superação e reflexão durante suas carreiras no futebol.

Aos 62 anos, o carioca René Simões é autor de dois livros. Um dele é chamado de “Do caos ao topo: uma odisseia Coxa-Branca”, que conta a trajetória do Coritiba na volta à elite do futebol brasileiro, em 2007. Na obra, o treinador René Simões, fala sobre lições de disciplina, resgate de auto-estima, trabalho de equipe, foco em objetivos, mapeamento das competências dos jogadores para melhor aproveitamento, tudo aplicado na campanha do título do time paranaense da Série B do Brasileiro. Segundo o próprio autor, “toda dificuldade é uma porta que se escancara para uma grande oportunidade”.

A outra publicação é sobre a conquista da medalha de prata na Olimpíada de 2004, em Atenas, no comando da seleção brasileira de futebol feminino. O nome do livro é “O dia em que as mulheres viraram a cabeça dos homens”. Em seu site oficial, René explica que escreveu sobre a “inversão de expectativas e superação de vaidade e objetivos pessoais em função de um gol em conjunto. A conquista da medalha olímpica em Atenas aconteceu jogo a jogo, treino a treino, num longo processo de construção e reconstrução de relacionamento e união acompanhados de muito trabalho em equipe e, especialmente, de freqüente auto-avaliação”.

Do outro lado, com 53 anos, está o mineiro Ricardo Drubscky, que escreveu “Universo Tático do Futebol – Escola Brasileira”. De acordo com explicações do próprio treinador-autor, em seu site oficial, “quase tudo que foi escrito no livro fez parte de conclusões tiradas do trabalho de campo no futebol. Após vitórias, empates e derrotas, sou levado a refletir sobre os ‘quês’ e os ‘porquês’ daquele resultado e das respostas da equipe em campo. Conjuguei conhecimentos teóricos e práticos sempre à procura do melhor entendimento dos fenômenos de cada jogo. Aconselho o leitor a ficar atento às frases conceituais diluídas ao longo do texto. Todas elas o farão refletir sobre as formas de tentar entender a dinâmica desse maravilhoso jogo”.

No confronto dos dois técnicos pela semifinal do Carioca, Drubscky levou a melhor no jogo de ida, e o Fluminense venceu por 2 a 1 há uma semana, no Maracanã. Neste sábado, um empate basta ao Tricolor para avançar à decisão, enquanto o Botafogo de René, que fez a melhor campanha da priemira fase e conquistou a Taça Guanabara, precisa vencer.

Fonte: ESPN.com.br