Invasão e ameaça: Polêmica de ingressos na final deixa ‘clássico da paz’ em xeque

Compartilhe:

Tradicionalmente a partida entre Botafogo e Vasco não gera grandes problemas à polícia, tanto que é denominado como “clássico da paz” devido à aliança existente entre as organizadas. Entretanto, a polêmica dos ingressos criada pelos vascaínos, que esgotaram seu setor rapidamente e passaram a comprar para a área destinada ao rival poderá mudar o rumo da história. A invasão cruzmaltina gerou ameaças por parte de alguns integrantes de organizadas do Alvinegro e, pela primeira vez em décadas, a tensão está no ar para o duelo entre os clubes.

Várias montagens circulam na internet em tons de ameaça. Membros de organizada prometem fazer ‘pente fino’ no setor destinado ao Botafogo e expulsar qualquer pessoa que não esteja torcendo para o Alvinegro de General Severiano. Inclusive, existe um pedido para que os botafoguenses que vão à finalíssima estejam vestidos com a camisa do clube para facilitar a busca pelos invasores.

A situação é tão tensa que até mesmo o Gepe (Grupamento de Operações Especiais Policiais em Estádio) colocou o tema no radar. De olho no lance, o subcomandante Major Silvio Luis orienta que caso algum vascaíno, de fato, tenha comprado ingressos para o setor do Botafogo, não vá ao estádio. Ele lembra que “provocar tumulto ou incitar violência” é crime.

“A gente faz um monitoramento nas redes sociais. Isso chegou ao nosso conhecimento. Com certeza será dada uma atenção especial. Historicamente, esse clássico não tem histórico de violência, são torcidas amigas, é clássico da amizade. Espero que não tenhamos problemas mais graves. O setor, assim como todo estádio, terá uma atenção especial”, disse o major ao UOL Esporte.

“Vamos avaliar como vai ser o comportamento no local. O que podemos informar de imediato é que o setor norte é exclusivo para a torcida do Botafogo. Não vai poder adentrar no estádio nenhum torcedor portando qualquer símbolo alusivo ao Vasco. Logico que alguns torcedores com roupa comum, a gente não vai poder avaliar num primeiro momento e eles vão entrar. Eles entrando, tem que ficar claro que o artigo 41b do Estatuto do Torcedor diz que “provocar tumulto ou incitar violência” é crime. Se pelo fato do torcedor estar torcendo pro Vasco, provocar tumulto, ele vai ser conduzido ao Jecrim (Juizado Especial Criminal)”, completou o subcomandante Silvio Luis.

O Vasco vendeu todos os ingressos em 21 horas de venda. Com o fim das entradas, os vascaínos não pensaram duas vezes e adquiriram também certa quantidade dos botafoguenses, que acabou no fim do mesmo dia. Com a informação de que os Cruzmaltinos planejavam uma invasão neste domingo, os torcedores do Alvinegro se revoltaram e passaram a ameaçar os rivais que forem assistir a finalíssima no lado errado.

A revolta foi tanta que o Botafogo até mesmo emitiu nota oficial lamentando a prática adotada pela torcida do Vasco, temendo consequências do dia do jogo. Além disso, o clube reclamou da postura de alguns jornalistas que incentivaram a prática sem pensar nos prós e contras do conselho. O ‘clássico da paz’ está em xeque.



Fonte: UOL
Comentários