No vestiário do Botafogo, não houve espaço para desculpas ou reclamações quanto à maratona de jogos e viagens para justificar a derrota para o Flamengo na semifinal do Campeonato Carioca.

Para o técnico Jair Ventura, seus comandados deram o máximo neste domingo no Maracanã.

— Sou tipo de treinador que não trabalha com desculpas. Lutamos, corremos riscos jogando com todos os jogadores, mas mostra que não abdicamos do Carioca. Demos o nosso máximo, mas nem sempre é suficiente. Fomos guerreiros. Não escondemos em nenhum momento que a prioridade é a Libertadores, mas eu queria estar disputando essa final.

Jair Ventura elogiou os dois atacantes que balançaram a rede ontem. Guerrero foi determinante para a vitória rubro-negra, e Sassá saiu do banco para descontar — e, talvez, ficar mais perto de uma vaga entre os titulares.

— O Guerrero foi o cara da partida. É difícil marcar ele, foi determinante para o resultado. E o Sassá vem entrando muito bem, assim como os outros. Sempre falo na meritocracia. É no dia a dia, nos treinamentos, claro que nos jogos também. Vamos esperar até o próximo jogo.

Fora do Carioca, o Botafogo agora se prepara para estrear na Copa do Brasil. Na quarta-feira, o alvinegro enfrenta o Sport, às 21h45m, no estádio Nilton Santos, no jogo de ida das oitavas de final. Pela Libertadores, o time joga em 2 de maio, também em casa, contra o Barcelona-EQU.

Fonte: O Globo Online