O Botafogo, enfim, conseguiu chegar à fase de grupos da Libertadores. Como os alvinegros estão acostumados, a vaga na competição Sul-Americana foi no sofrimento. Depois de perder no tempo normal por 1 a 0 para o Olimpia, no Paraguai, a disputa foi para os pênaltis. Gatito Fernándes, que havia sido barrado pelo técnico Jair Ventura, entrou no segundo tempo – Helton Leite saiu sentindo dores -, e virou o herói do time ao pegar três penalidades máximas.

Após a partida, aliviado, Jair Ventura concedeu entrevista coletiva, fez um balanço da classificação heroica do Botafogo e elogiou o desempenho da equipe durante a partida.

“Tem coisas que só acontecem com o Botafogo. Perdemos uma substituição por conta da lesão do Helton. Mais uma lesão atrapalhando nossos planos. Perdemos o Montillo, o Jonas (por cartão)… Difícil. Muitas coisas difíceis. Foram quatro finais em 30 dias para nos prepararmos. Fomos na raça, na garra, na intensidade. A cara do Botafogo. Hoje tivemos resiliência. Tínhamos nossa estratégia para atacar, mas não conseguimos a transição rápida. Com passes em velocidade. Foi para os pênaltis. E numa noite feliz do Gatito e dos nossos cobradores, conseguimos essa tão sonhada classificação. Pegamos dois gigantes sul-americanos. Mas o Botafogo é gigante também. Fico feliz. Agora começa a Libertadores. Fico feliz de ganhar de clubes grandes. Nos credencia a chegar mais fortes na fase de grupos”.

Quando o Botafogo divulgou a escalação para o duelo no Paraguai, a torcida alvinegra teve uma surpresa: Matheus Fernandes. O jogador de 18 anos estava entre os titulares. Mas, na volta do segundo, o meia foi substituído. Jair Ventura explicou o porquê da alteração.

“O Matheus fez um grande jogo. Foi muito bem no clássico (contra o Flamengo) e vem conquistando seu espaço. Tirei o Matheus no intervalo porque ele estava mal? Não. Eu tive dificuldades com as duas linhas de quatro. Inverti o Bruno com o João Paulo. Coloquei o Gilson que tem uma saída rápida pelo corredor e o pé esquerdo. Um jogador leve. Os volantes estavam tendo dificuldades, até pelo volume de jogo do Olimpia. Conseguimos corrigir um pouco, mas não foi o ideal”.

Confira outros trechos da entrevista:

Ansioso para a Libertadores?

Dia 14/3 é a nossa estreia. Dia do meu aniversario, no nosso estádio, contra o Estudiantes-ARG. Nosso grupo é muito difícil. Vamos lá. Lutamos tanto para isso. Seria muito ruim ficar fora depois de tudo que passamos. Saímos de rebaixamento e estamos aqui. Um passo gigante. Fico muito feliz. Levamos o Botafogo onde o Botafogo tem que estar.

O Planejamento deu certo?

Desculpa aqueles que acharam que o planejamento não estava certo, mas o planejamento estava certo. Abrimos mão de algumas competições, do Carioca, mas nosso objetivo principal foi alcançado.

Fonte: Esporte Interativo