O vestiário do Botafogo era só alegria depois da vitória dramática contra o Sport, no estádio Nilton Santos. E o técnico Jair Ventura era um dos mais empolgados. Na entrevista coletiva, logo após o jogo, o treinador disse que estava vivendo um sentimento de orgulho por dirigir uma equipe formada por homens que vão ao limite em busca do objetivo. Jair ainda afirmou que, apesar do pouco tempo de profissão, não recorda de uma virada com um tempo inteiro com um jogador a menos, contra um time de Série A, “forte como é o Sport”.

O treinador alvinegro explicou que fez sua preleção, antes do jogo, em cima do desempenho da equipe na Pré-Libertadores. Passou aos jogadores que ninguém pegou tantas equipes difíceis quanto o Botafogo.

“Isso nos deu uma bagagem, de saber jogar um mata-mata. Hoje fizemos isso”.

Jair reconheceu que a vantagem alcançada é mínima, mas que o Botafogo se acostumou a jogar bem fora de casa.

“Por tudo que aconteceu hoje, é uma grande vantagem”, salientou.

O treinador alvinegro elogiou o atacante Guilherme, autor dos dois gols, e disse que ele foi escalado ao lado de Sassá porque vem apresentando um bom desempenho em treinos e jogos. E admitiu que Pimpão queria começar jogando, mas ele preferiu guardar o atacante para o segundo tempo, já que ele vem muito desgastado por jogos seguidos.

Quem também estava muito feliz era o goleiro Gatito Fernandez, que defendeu um pênalti em momento decisivo, como já havia acontecido na Libertadores.

“Consegui ajudar o time, acho que todos estão de parabéns. A penalidade foi importante, sabia como ele batia e consegui defender”, comentou o camisa 1.

Fonte: Gazeta Esportiva