O técnico Jair Ventura, do Botafogo, disse mais uma vez que o Botafogo não jogará apenas na defesa contra o Grêmio. O Alvinegro enfrenta o Tricolor gaúcho nesta quarta-feira às 21h45 pelas quartas de final da Libertadores.

– A gente sabe da força do Grêmio jogando em casa, mas precisamos saber também que não dá para jogar só no jogo de transição. Vamos ver mais de uma forma de jogo: transição, marcação em cima e outras, como sempre foi – afirmou o treinador.

A maior dúvida do adversário é se o atacante Luan poderá ou não atuar. Para Jair, no entanto, a dificuldade será a mesma:

– Não sei se ele vai jogar, mas o Grêmio é forte com e sem ele. Já jogamos contra o Grêmio sem ele e sabemos como é difícil. Com ou sem ele, é a dificuldade de jogar contra uma grande equipe.

A estratégia também não vai mudar, segundo o treinador.

– A estratégia é a mesma. Sabemos da qualidade do Luan. Mas muda na hora de encaixe da marcação, da movimentação. Ele flutua mais, diferente do que o Ramiro fez. O Arthur também fez uma grande partida, foi convocado. Mas estamos preparados para as duas maneiras: sabemos da força do Grêmio com Luan, mas sem ele também.

Jair destacou a diferença no investimento do Botafogo e como a equipe chegou longe com menos recursos do que muitos adversários brasileiros.

– Se olhar o investimento do Botafogo, entendemos que não coloquem como favorito. Mas se considerar a dedicação do clube, é diferente. Mesmo com menor investimento, estamos vivos na maior competição, algo que times com mais dinheiro não conseguiram.

Confira outros trechos da entrevista:

OTIMISMO 

O mesmo de todos os jogos. Eu sempre falo em equilíbrio. Sou muito equilibrado, inclusive nesses grandes jogos. E esse é o clima do vestiário. Nosso clima é leve, alguns pensam que o mundo vai acabar quando perdemos. A gente já vive uma realidade tão difícil no país, dessa situação política, financeira, de violência. Levamos com muito trabalho, mas nos momentos que antecedem os treinos estamos muito felizes. Trabalhamos numa grande equipe, estamos numa grande competição, contra um grande adversário, e estamos muito felizes.

POSSIBILIDADE DE TÍTULO

Eu sou um felizardo de estar participando, mas queremos sempre mais. Seria muito egoísta dizer que quero isso para a minha carreira. Quero não para mim, mas sim pelo Botafogo; uma instituição gigante, que tem mais de 100 anos e não conseguiu esse título. A torcida merece e o grupo também. Sabemos também que para conquistar grandes títulos, grandes feitos, é preciso estar sempre participando. Ficamos felizes de levar o Botafogo para jogos decisivos, quartas de final, semifinal. Esse é o trabalho. É gradativo, então vamos ver como vai ser até o final do ano.

MOMENTO BOM

Não tem momento bom para enfrentar o Grêmio, é sempre muito difícil. Ainda vejo o Grêmio com o futebol mais vistoso. É muito qualificada tecnicamente e se equipara conosco na competitividade. Vejo a mesma dificuldade em enfrenta-los hoje e antes. Mas o Botafogo também tem suas forças, ninguém nos convidou para estar aqui. Então a expectativa é de um grande jogo e quem conseguir ser mais efetivo no terço final vai conseguir a classificação.

MAIS UMA FINAL

O que muda é o passar dos meses. Passamos do Colo-Colo, do Olimpia, da fase de grupos que era considerada o grupo da morte, entre as três últimas do Brasil.

CARTAZES COM PROVOCAÇÕES DA IMPRENSA GAÚCHA

Faz parte do show, falam de tudo, ficam chateados. Alguns ficam mais motivados com algumas das situações. Vejo de maneira normal.

PÊNALTIS

A gente foi eliminado na semifinal e disseram que queríamos levar para os pênaltis por causa do Gatito. Isso não existe. Não esperamos acabar um jogo de 90 minutos para levar para os pênaltis, esperamos terminar o jogo nos 90 minutos e nos acréscimos. Treinamos pênaltis sim, hoje e a semana toda, porque pode acontecer. Mas as duas equipes vão jogar para que isso não se repita.

MARCOS VINÍCIUS

Tínhamos a opção de dois meias. Tanto o João como o Leo. Então na Libertadores são só 18, viaja com 20 e tem dois cortes. Então não tem porque ter três meias. Como o Carli está se recuperando, trouxe mais um zagueiro. Nós temos 3 meias e hoje o Marcos é o terceiro.

Fonte: Extra Online