dolo do Botafogo, o ex-atacante Jairzinho, de 70 anos, afirmou neste domingo (28) que a má administração resultou no rebaixamento do clube carioca para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro.

Além disso, o Furacão da Copa, como ficou conhecido por ter marcado gols em todos os jogos do Mundial de 1970, também não poupou críticas ao ex-presidente da Estrela Solitária, Maurício Assumpção.

O dirigente, segundo Jairzinho em entrevista à Rádio Bradesco Esportes FM, acumulou erros durante os seis anos em que esteve à frente do alvinegro, como a dispensa de quatro jogadores durante o Brasileirão.

“Para mim, está mal administrado. Você vê agora a situação do Maurício. Há seis anos, ele entrou com uma bucha e foi eleito porque não tinha outro [candidato]. Ele fez um cronograma anual, melhorou uma parte daqui, outra dali, prejudicou uma parte daqui e outra dali. Como um presidente pode pegar a autoridade de falar ‘quem manda sou eu e todo mundo tem que obedecer”, questionou.

Em outubro, o Botafogo estava na zona de rebaixamento quando o então presidente anunciou a rescisão dos contratos de Emerson Sheik, Bolívar, Edilson e Julio Cesar. Para o ex-jogador, a decisão foi errada.

“Eles [os atletas] saíram e, na sequência, o Botafogo foi se afundando, chegou no final e caiu.  Esse presidente vendeu o Botafogo para uma empresa por um valor incalculável, e ninguém cobrou nada nem vai cobrar nada. Esse presidente saiu e está agora desfrutando de tudo aquilo que foi benéfico para ele”, declarou.

Depois, o Furacão da Copa também citou as dívidas do clube carioca para complementar suas críticas ao ex-mandatário. “O Botafogo entra em 2015 com um déficit absurdo de mais de R$ 700 milhões. O presidente foi figurativo”.

Para a próxima temporada, o Botafogo contratou o técnico René Simões, enquanto Antônio Lopes assumiu o cargo de gerente de futebol. O sucessor de Assumpção na presidência é Carlos Eduardo Pereira.

Fonte: Band e Bradesco Esportes