No mesmo dia em que Tite convocava a lista final para a Copa do Mundo de 2018, Jefferson brilhou pelo Botafogo e foi o melhor em campo na vitória sobre o Fluminense por 2 a 1. Para os torcedores alvinegros, ficou a sensação de que o ídolo ainda poderia beliscar uma vaga na Rússia se tivesse um pouco mais de tempo. Mas para o goleiro, não há queixas nem lamentos.

Embora admita que disputar sua segunda Copa era um sonho, a ferida pela saída da Seleção foi curada. Reserva de Felipão em 2014, o goleiro iniciou a era Dunga como titular, defendeu até pênalti de Messi no Superclássico contra a Argentina, jogou a Copa América de 2015… Mas depois acabou preterido pelo próprio treinador; no ano seguinte sofreu uma grave lesão no tríceps do braço esquerdo, passou por duas cirurgias, ficou 14 meses parado… E ele entende ter ficado fora:

– Sou uma pessoa muito realizada, graças a Deus. Tive meus momentos bons na Seleção, números muito bons. É claro que depois da Copa de 2014 a gente teve uma sequência boa. Sempre sonhei estar na Copa de 2018, mas quatro anos, né? Muita coisa pode acontecer.

– Infelizmente tive essa lesão em 2016 que acabou atrapalhando meu momento. Naquela época sofri bastante, sabendo que tinha que correr contra o tempo para estar na Copa. Hoje a gente está mais consciente, mais tranquilo, sabendo que fez o possível para poder estar (entre os convocados). Infelizmente não conseguimos, agora é torcer para os nossos companheiros lá.

Em participação ao vivo no “Tá Na Área” desta terça-feira, Jefferson aprovou o trio de goleiros convocados por Tite: Alisson (Roma-ITA), Cássio (Corinthians) e Ederson (Manchester City-ING). E revelou uma torcida especial para o goleiro do Timão, com quem trocou mensagem após a lista final divulgada na última segunda-feira.

– Os três goleiros da Seleção são justo, muito justo. São três grandes goleiros, estava torcendo principalmente para o Cássio, um cara que é meu amigão também fora de campo, mandei mensagem para ele. Acho que por tudo que ele conquistou no Corinthians, nada é mais justo.

Fonte: SporTV.com