Vários fatores podem fazer um jogador cair na graça das torcidas. No entanto, a principal, com certeza é o atleta demonstrar carinho ao clube. E foi isto que Jefferson fez quando o Botafogo caiu para a segunda divisão e ele, com propostas mais vantajosas, decidiu permanecer no Glorioso e ajudar no retorno do time à elite do futebol brasileiro. Em entrevista coletiva após a vitória por 2 a 1 sobre o Paraná, o goleiro relembrou o ano de 2014 e reafirmou seu amor ao Alvinegro carioca, colocando o clube acima até da Seleção Brasileira.

“2014 foi difícil para o Botafogo, mas eu tive um ano positivo. Tinha tudo para deixá-lo, mas o via como uma paixão. Coloco o Botafogo acima da Seleção. Não me arrependo. A história de caráter e lealdade vai ficar como um exemplo. Nem tudo na vida é dinheiro”, declarou.

Ainda procurando processar tudo o que foi vivido na noite desta segunda-feira, Jefferson deixou um recado para os torcedores do Botafogo.

“Quero dizer para os torcedores que vão ficar histórias boas, sou uma pessoa muito abençoada e estarei mais próximo deles. A ficha não caiu”, disse.
História

É o sonho de todo jogador de futebol fazer história por um grande clube e se tornar ídolo da torcida. Jefferson conseguiu tudo isso. No entanto, o goleiro não imaginava chegar a este nível de idolatria demonstrado pela torcida nesta segunda-feira no Estádio Nilton Santos. O arqueiro ainda agradeceu o técnico Zé Ricardo pela oportunidade de atuar diante do Paraná.

“Nunca imaginava chegar nesse patamar. É difícil fazer história em um clube grande como o Botafogo. É uma pressão grande e você pensa em sobreviver. Fiquei feliz pela oportunidade que o Zé me deu. Tinha muita coisa valendo para o Botafogo”, falou.

Por fim, o goleiro afirmou que dorme de cabeça tranquila, pois enquanto profissional, fez tudo o que era possível para honrar a camisa do Botafogo.

“Durmo de cabeça tranquila, me doei ao máximo pelo Botafogo. Quando cheguei, me estendeu as mãos e não me arrependo em nada”, concluiu.

Fonte: Esporte 24 Horas