João Paulo é uma das poucas caras conhecidas do Botafogo versão 2020. Com novo reforços para temporada, o gaúcho de Serafina Corrêa/RS está entre as principais referências técnicas do plantel deste ano.

Em entrevista exclusiva ao repórter Luan Faro, da Rádio Brasil, João Paulo falou sobre a responsabilidade de ser um dos mais experientes do grupo.

— No último ano já foi assim. A gente teve um perfil de grupo bem jovem. Meu papel é estar na frente, mostrar o caminho para eles. Muito mais em atitudes de dia a dia. Até porque eu não sou um cara de falar muito, mas tento nas minhas atitudes em campo passar algo para eles – garante.

O volante também revelou suas expectativas para 2020.

— Espero um Botafogo mais forte. No último jogo contra o Ceará eu falei isso: que esperava que a gente fosse uma equipe mais forte, que o Clube pudesse um passo adiante e ser mais protagonista nos campeonatos que disputássemos. Espero que consiga. Vou continuar fazendo tudo que posso. Vamos em buscar de vitórias e títulos.

Leia mais declarações de João Paulo:

Propostas para deixar o Botafogo

— Isso valoriza o meu trabalho. Não dá para ver como algo negativo. Valorize o atleta e o clube. O que teve de mais concreto foi, realmente, os Estados Unidos (Seattle Sounders). Teve sim uma conversa, mas continuo muito feliz de estar aqui. O Botafogo abriu as portas para mim. Sou eternamente grato. Vou continuar fazendo meu máximo para fazer o time vencer.

Dificuldades do clube

— Tivemos uma conversa bem breve quanto a isso. O Carlos Eduardo quem teve a palavra no primeiro dia. Ele mencionou que ainda vai ter dificuldade principalmente neste primeiro semestre. Não temos exata certeza de como vai ser. Então, a gente acaba vivendo nosso dia a dia. E a gente deixa nas mãos da diretoria para fazer essas mudanças. A gente espera que seja ainda esse ano. Esperamos que seja ainda esse ano porque não queremos passar pelo que passamos ano passado.

Botafogo S/A

— Não sei até que ponto isso já vai surtir uma mudança imediata. Se vai ser ainda esse ano, se não vai. Eu não quero ainda me aprofundar neste assunto porque realmente a gente não sabe quando vai ser. Mas é preciso. O Botafogo tem que dar esse passo para estar mais forte no futuro.

Ambiente da pré-temporada

— Fundamental. Nos últimos dois anos, eu sofri com duas lesões musculares exatamente porque não tivemos pré-temporada. No estádio a gente não tem as mesmas condições que a gente encontra aqui, então tem toda essa tranquilidade para treinar. As instalações também são boas. Então a gente tem tempo bom aí para se preparar.

Permanência de Valentim

— Sou suspeito para falar. É um cara que desde a chegada em 2018 me ajudou bastante. Apostou em mim. Ele cobra muito, exige e busca melhorar. Conhece a maioria dos que ficaram. É um degrau aí que a gente já sobe de início. Tomara que a gente consiga uma sequência.

Novo visual sem barba

— Minha ideia era no início de dezembro já ter feito. Para ela chegar um pouquinho maior e não assustar tanto. Mas confesso que fiquei uns três dias me olhando no espelho e nem eu me reconheci.

Vai deixar crescer?

— Não sei se tão grande, mas vai crescer.

Fonte: Fogo na Rede e Rádio Brasil