O duelo contra o Grêmio, no último domingo, terminou da pior forma para o Botafogo. Além da derrota por 3 a 0, o time viu a diferença de pontos para a zona de rebaixamento diminuir de cinco para quatro pontos. O meia João Paulo, vê a melhora do desempenho da equipe como questão de tempo. A chegada de Valentim, segundo ele, aumentou o reportório ofensivo do Alvinegro, falta apenas colocar em prática o que é ensaiado nos treinamentos, no duelo com o Cruzeiro, nesta quinta-feira, ás 21h30, no Nilton Santos.

-É o início do trabalho do Alberto. A gente está sempre tentando melhorar e tentando fazer o que ele vem pedindo. Algumas vezes conseguimos, em outras ainda temos que melhorar. Todos os jogos são equilibrados e decididos no detalhe. A bola parada é um fator que aproveitamos bem nos últimos meses. Temos melhorado no setor ofensivo, com mais alternativas para criar. A chegada do Alberto nos deu um repertório maior de jogadas ofensivas, mas não adianta ficar só no papo. Temos que chegar no jogo e colocar isso em prática. Vamos tentar fazer isso na quinta-feira – disse João Paulo, em coletiva, nesta terça-feira, antes do treino.

O camisa 5 também elogiou os esforços de Valentim para que a equipe verticalize mais o jogo, abrindo mão de sempre ter a posse de bola, conforme era feito pelo antecessor, Eduardo Barroca.

– Temos trabalhado a saída de bola para ter alternativas de chegar ao campo de ataque com menos toques. Temos conseguido alternar essa posse de bola com um estilo de jogo mais vertical e ofensivo. O Diego Souza é um jogador que tem essa última bola, consegue fazer muito bem o pivô e atuar como um camisa 9. O Alex Santana atua bem no último terço de campo, o que é muito importante, e tem boa finalização. É uma alternativa interessante para nosso time.

Confronto direto

O time mineiro abre o Z-4, com 29 pontos, em 17º lugar e é adversário direto do Glorioso na briga para escapar da degola. Com 33 pontos, o time de João Paulo sabe da importância da partida, encarada como uma decisão no clube.

– Como já dissemos antes, temos que fazer de cada jogo uma final e, ainda mais, tratando-se de um jogo em casa, contra um rival que está na mesma situação que a nossa. Não projetamos muito à frente, queremos pensar jogo a jogo. Temos que evoluir nas coisas que temos feito para ter uma melhor performance e para obter bons resultados – finalizou.

Fonte: Terra