O Botafogo está próximo de fechar com Yaya Touré duas semanas depois de acertar com Keisuke Honda. Por mais que um jogador não tenha nada a ver com o outro, o marfinense ficou muito interessado em saber que, se aceitar a proposta do Alvinegro, terá o japonês como companheiro no Rio de Janeiro.

Marcos Leite, empresário que faz a intermediação entre Botafogo e o estafe do jogador africano, também foi o responsável por participar da negociação de Honda. O japonês já está no Rio de Janeiro há uma semana e suas primeiras impressões sobre a estrutura do Botafogo foram positivas.

Evidentemente que não se trata de instalações de primeiro mundo, mas tem sido considerado bom o suficiente para desempenhar a profissão. E essas informações foram passadas para Yaya Touré, que se animou com tudo o que foi ouvido. Isso sem contar a conhecida qualidade técnica do japonês, outro atrativo.

As negociações com Touré não começaram nada bem. Oferecido, o jogador interessou ao Botafogo, que perguntou sobre maiores detalhes. Nesse ponto, a negociação vazou, o que irritou a diretoria, que se viu sem dinheiro e pressionada pela torcida. O estresse virou solução.

É que o Botafogo conseguiu a ajuda de torcedores ilustres para pagar parte dos salários. Além disso, as conversas avançaram em um formato semelhante ao de Honda. Tanto o japonês, quanto o marfinense terão percentual da venda de materiais que tenham seu nome envolvido.

A expectativa é por uma resposta definitiva de Yaya Touré nesta quinta-feira. O Alvinegro está otimista pelo final feliz, mas ainda mantém os pés no chão e diz que há muita estrada a percorrer. Amanhã (19), às 21h30, o Botafogo tem uma decisão contra o Náutico, pela segunda fase da Copa do Brasil.

Fonte: UOL