Com um histórico de atletas brasileiros, o Estoril, que disputa a primeira divisão portuguesa tem um modelo de negócios claro. Investir em jovens brasileiros que possam se desenvolver e render boas transferências no futuro. Foi assim que recentemente Mattheus (ex-Flamengo), Bruno César (ex-Corinthians e Palmeiras) foram vendidos para o Sporting, Evandro (ex- Atlético-PR e Palmeiras) saiu para o Porto, e Léo Bonatini (ex-Cruzeiro) foi para o Al Hilal.

Na atual temporada, são 14 brasileiros no elenco. E uma das esperanças do clube, que luta para deixar a zona de rebaixamento, é o atacante Allano.

“Vivo uma temporada boa desde a época passada”, diz o atacante de 22 anos, já se valendo das expressões portuguesas como “época” no lugar de “temporada. “Apesar do time não estar tão bem, estou numa fase particularmente boa. Participando bastante dos gols”. Eu não gosto de perder, nem em par ou ímpar. Minha principal característica é a velocidade. Tinha dificuldade na finalização, mas já estou aprimorando”.

Com 5 gols, Allano é o vice-artilheiro do Estoril, que ocupa a 17ª posição na tabela, com 26 pontos. O artilheiro com 6 gols é outro brasileiro, como era de se esperar. O também atacante Kléber, que disputou o Brasileirão Série B com o Palmeiras em 2013.

“O elenco recheado de brasileiros é bom porque entrosamos rápido. A amizade ajuda. Fica mais fácil de nos entendermos no campo”, afimar Allano.

Uma ajuda tão importante quanto vem da cidade de Estoril. Localizada no litoral português, se mostra aprazível para os brasileiros não só dentro de campo.

“A cidade é maravilhosa. É parecida com o Rio de Janeiro. Ainda mais agora que vai chegar o verão, já que o inverno não foi tão tranquilo (risos)”, brincou o atacante que, já sabendo da fama de “bom vendedor” do Estoril, planeja continuar sua carreira no velho continente.

“Pretendo ficar na Europa. O lado familiar pesa nessa decisão, agora que tenho esposa e filho. Não penso onde jogar, só penso em fazer bem o meu trabalho. Mas aqui, admiro Porto, Benfica, Sporting e o Braga”, explica Allano.

Cria da base do Botafogo, era tratado como grande promessa no clube e chegou a atuar na equipe principal com apenas 18 anos. No entanto, devido a atos de indisciplina acabou sendo liberado para o Cruzeiro. Hoje, na sua temporada com a camisa do Estoril, garante ter amadurecido.

“Hoje tenho um comportamento diferente. Nessa época era muito jovem e queria fazer o que meus amigos de fora do futebol faziam. Hoje sei que não é assim. Agora sou pai de família e estou focado no lado profissional”.

Fonte: Esporte Interativo