Há quase três meses sem vencer, o Botafogo trata a partida de sábado, contra o Criciúma, no Maracanã, como decisiva para o futuro do time no Campeonato Brasileiro. O time é o penúltimo na tabela de classificação e sabe que quanto mais demorar a despertar, mais difícil será sair da complicada situação.

A última vez que o torcedor alvinegro terminou um jogo satisfeito com a equipe foi no dia 18 de março. Na ocasião, a vitória por 1 a 0 sobre o Independiente del Valle encaminhou a classificação para as oitavas na Libertadores, o que acabou não acontecendo depois.

Com um mês de salários pago no início da semana, o ambiente ficou mais leve e a confiança no fim da má fase aumentou. E o resultado do trabalho de quatro semanas sob o comando de Vagner Mancini estão tendo reflexos na postura da equipe, segundo a análise dos próprios jogadores.

“O Mancini está organizando nossa equipe para que tenhamos um padrão de jogo e que ele possa prevalecer. Sabemos da nossa situação na tabela e o Campeonato Brasileiro não espera. Nossa primeira vitória tem que, sim, acontecer contra o Criciúma, respeitando a equipe deles, mas nos impondo em casa”, disse o lateral-esquerdo Junior Cesar.

A única dúvida do comandante para a segunda partida do Alvinegro no Maracanã na competição — empatou em 2 a 2 com o Inter na primeira — é com relação ao substituto de Lodeiro, com lesão na coxa direita. Jorge Wagner, Fabiano e até Edilson, improvisado, já foram testados, mas Mancini só deve tomar a decisão no treino de hoje.

Nesta quinta, Carlos Alberto ficou novamente na academia e Sheik, com um corte no dedão do pé direito, foi poupado, mas não preocupa.

Fonte: O Dia Online