No dia 30 de setembro, Kieza recebeu passe de Erik e voltou a deixar o Botafogo na frente do São Paulo em jogo da 31ª rodada do Campeonato Brasileiro – o duelo terminou 2 a 2. O gol marcado foi o último do atacante até a última segunda-feira, quando ele deu a vitória ao Alvinegro diante do Madureira no Carioca.

A seca era de 18 jogos e incomodava. Tanto que o Botafogo se viu obrigado a reforçar a posição e foi ao mercado. A chegada de Diego Souza, com status de ídolo, em sua apresentação em General Severiano, já deu o recado. Chega para jogar e provavelmente como centroavante.

Kieza, portanto, sabe que dificilmente seguirá no time titular. Pelo menos inicialmente. Diego Souza deve estrear contra o Fluminense, no domingo, no Maracanã, justamente na vaga do camisa 9. Experiente, ele diz que a situação não o incomoda, mas deixa claro que estará pronto para ajudar da maneira que for preciso.

“Com 15 anos de carreira é a primeira vez que passo essa seca de gols. Nunca fiquei cinco jogos sem fazer gol. Uma hora chega e é diferente, mas nunca baixei minha cabeça. Um pouco chateado, mas sempre procurei ajudar a equipe da melhor forma possível. Seria muito hipócrita e muito inocente se achar isso (pressão com a chegada de Diego Souza). Diego é um jogador que não precisamos nem falar. Um cara que vem para nos ajudar muito e eu quero na minha carreira jogar com grandes jogadores. No que eu puder, vou ajudar”, disse Kieza.

E o próprio técnico Zé Ricardo deixa claro que Diego Souza e Kieza poderão atuar juntos. Seja como titular ou em uma situação de jogo. A afirmação deixa clara a importância do camisa 9 mesmo após atravessar longo período de seca.

“O Diego Souza vem para agregar demais, não descarto em nenhum momento, no Flamengo joguei com Vizeu e Damião, no Vasco com Riascos e Rios, não tem problema nenhum de espaço”, explicou Zé Ricardo.

Com a vitória, o Botafogo chegou a 4 pontos e assumiu a quarta posição do Grupo C. Para chegar à semifinal do segundo turno, o time terá que tirar uma diferença de dois pontos para a Cabofriense, com seis, na vice-liderança – só os dois primeiros passam de fase.