Lusa critica pressão do Bota na arbitragem: ‘Vergonhoso’ (!?)

Compartilhe:

Alício Pena Junior não agradou nenhum dos lados neste domingo, no Canindé. Durante o primeiro tempo, foram os botafoguenses que colecionaram reclamações ao árbitro. Já na etapa final, foi a vez dos donos da casa não saírem satisfeitos com a marcação do mineiro, na partida que terminou com vitória do time carioca, por 3 a 1, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Mais do que reclamar da arbitragem, a Portuguesa foi além e criticou a pressão que o Botafogo exerceu em cima de Alício Pena Junior após o primeiro tempo. Contrariados com um pênalti não marcado em Seedorf e um toque de mão de Luis Ricardo, os alvinegros cercaram o árbitro na saída para o intervalo. O técnico Oswaldo de Oliveira acabou sendo expulso, enquanto o goleiro Jefferson levou o cartão amarelo.

– Não quero transferir responsabilidades, mas o que o Botafogo fez no intervalo foi vergonhoso, tanto que o Oswaldo até foi expulso. Depois tudo inverteu. Não analisei com calma, mas, na minha opinião, foi falta no Jean Mota no segundo gol deles – declarou o técnico Guto Ferreira.

A Portuguesa ainda cobra um pênalti que Jean Mota teria sofrido. No lance em questão, ele nem vai ao chão, mas Guto Ferreira entende que o jogador de 19 anos sofreu a falta e que, caso tivesse caído, o árbitro teria marcado a infração.

– Faltam alguns detalhes, de maturidade, de rodagem, ao time. Mas, em cima de todas as dificuldades que tivemos, a Portuguesa novamente me surpreendeu positivamente.

A derrota freou a reação que a Lusa esboçava no Brasileirão. Com 13 pontos somados, a equipe rubro-verde é a 18ª da tabela de classificação, ao passo que o Botafogo é o atual líder da competição. Na próxima rodada, a Portuguesa vai até Belo Horizonte enfrentar o Atlético-MG, no domingo, às 16h (horário de Brasília).



Fonte: Globoesporte.com
Comentários