Há mais de duas décadas na presidência do Madureira, Elias Duba é um dos dirigentes mais tradicionais do futebol carioca e considerado o mais influente dos times de menor investimento. Atualmente, assim como o clube que dirige, vive um momento ímpar, pois o Tricolor Suburbano ocupa a 3ª colocação na Taça Guanabara, a primeira fase do Campeonato Carioca, e depende apenas de suas próprias forças para ser semifinalista. Para isso, basta uma vitória e um empate nos dois jogos restantes, contra Botafogo e Fluminense, respectivamente.

Recentemente, alguns veículos de imprensa noticiaram sondagens e propostas de times grandes envolvendo jogadores do Madura. Ciente do momento, o presidente confirmou que diversos clubes pretendem contar com atletas que atualmente defende o Madureira. Um dos mais assediados é o atacante Rodrigo Pinho, artilheiro do Campeonato Carioca com 9 gols.

– Para o Rodrigo Pinho, pelo campeonato que faz, o que não faltam são propostas. São muitas e de diversos clubes. Mas só aceito discutir depois do campeonato. Até lá, não sento com nenhum dirigente ou procurador. Não sento com ninguém pra falar de contratação de jogadores do Madureira. Depois do campeonato, podemos falar sobre isso – declarou o mandatário do Tricolor Suburbano.

O nome de Rodrigo Pinho ganhou páginas de jornais e noticiários de rádio e TV. Das notícias que mais circulam, a mais frequente é uma eventual transferência do atacante para o Fluminense. Duba confirmou diversas propostas, mas negou a do Flu, acrescentando que o Tricolor das Laranjeiras não tem condições financeiras de sustentar seu atual elenco e que também não tem nada a oferecer ao atacante do Madura.

– O estranho é falarem do Fluminense. Da fila de clubes interessados no Pinho, é o que tem menos condição de contratar. É um clube que faliu o patrocinador, é administrativamente falido e não tem composição pra pagar seus atletas. Vai querer contratar um jogador que está em alta no mercado? Na fila de propostas que tenho, o Fluminense seria o último, se tivesse feito alguma, porque não tem nada a oferecer. O Madureira não vai conversar com ninguém a respeito de contratação agora. E muito menos com o Fluminense, que não tem nada a propor – enfatizou Duba.

Duba cita contratações antes de Flu x Voltaço, em 2005

Como objeção ao Fluminense, Elias Duba citou um episódio ocorrido há dez anos, também no Campeonato Carioca. O presidente do Madureira mencionou o episódio em que o Fluminense contratou o goleiro Lugão, do Volta Redonda, em 2005. Naquele ano, os dois times se enfrentaram na final e Lugão, goleiro do Voltaço, assinou um pré-contrato com o Flu pouco antes da partida de volta da decisão.

– Estamos concentrados nessa disputa das vagas nas semifinais. Propostas? Já chegaram algumas. Do Fluminense? Com certeza não chegou. Mas eu sei que é um clube que gosta de fazer esse tipo de coisa. Haja vista o episódio do goleiro do Volta Redonda, que todo mundo lembra o que aconteceu – cutucou.

Naquele ano, o Tricolor das Laranjeiras foi campeão com um gol do zagueiro Antônio Carlos, nos acréscimos da partida, em uma saída falha do arqueiro do Volta Redonda. O Voltaço tinha a vantagem do empate para ser campeão ou perder por 2 a 1 para decidir nos pênaltis. A partida terminou com o Flu vencendo por 3 a 1. Semanas depois, Lugão foi apresentado ao time vencedor do Carioca. Mas nunca entrou em campo em partidas oficiais.

Focado na disputa do Campeonato Carioca, o Madureira segue sua preparação para os dois jogos restantes da primeira fase. Com 30 pontos, ocupa a 3ª colocação. O time de Elias Duba pode passar de fase já no próximo final de semana, caso vença o Botafogo e o Fluminense não saia vitorioso do clássico contra o Flamengo. As duas partidas serão realizadas no domingo (5), com transmissão ao vivo da Rádio FutRio.

Ao longo da conversa com Elias Duba, outros temas foram abordados. Passando pela antiga parceira de marketing esportivo, a Traffic, assédio e opinião da imprensa sobre o fato do Madureira marcar presença entre os principais times do campeonato e também pela importância de Toninho Andrade, treinador contratado ainda no fim de 2014.

Confira na íntegra a entrevista de Elias Duba, presidente do Madureira:

Pontos fracos da parceria com a Traffic em 2014
O ano de 2015 veio para nos mostrar que a parceria foi ruim para o Madureira. Poderíamos ter nos classificado no Campeonato Brasileiro, ter ascendido à Série B, talvez sem a parceria. Até porque na hora que o Madureira mais precisou da parceira, ela virou as costas. E depois levou os melhores jogadores. Mas nos deixou a possibilidade de ver que sem essa parceira o Madureira caminhou melhor. Neste Campeonato Carioca, caminhamos com nossas próprias pernas e estamos melhores. Hoje digo sem medo de errar: a parceria não foi boa para o Madureira.

Preparação do Madureira para os jogos decisivos
Estamos vivendo um momento em êxtase pela campanha e pela proximidade de uma decisão, de uma semifinal. O Madureira vive um momento ímpar. Só que estamos focados. Hoje mesmo (31/03) tivemos uma conversa, eu, os atletas e a comissão técnica, sobre o jogo de domingo contra o Botafogo. E depois vamos pensar no jogo de quarta-feira contra o Fluminense. Precisamos nos classificar para as semifinais. Isso seria o selo de qualidade que falta na campanha do Madureira.

Importância do técnico Toninho Andrade
A contratação do Toninho foi um salto de qualidade que demos e foi a diferença que tivemos da Série C do ano passado. Talvez com o Toninho comandando o nosso time teríamos chances de subir para a Série B. Vieram algumas contratações pessoais. Mas isso tudo foi treinado e colocado pelo nosso comandante, que merece um grande destaque nessa campanha do Madureira.

Marcar presença entre os melhores colocados no Carioca
Isso tudo tem sido maravilhoso pra gente. Mas nesse momento, que um clube pequeno chega ao ponto que chegamos, brigando de igual para igual com os grandes e toma o lugar de alguns é o de ser reverenciado. No entanto, na mídia do Rio de Janeiro, alguns idiotas e imbecis não querem enxergar o que representa um clube com as tradições do Madureira no meio dos grandes, com pontuação igual, defesa menos vazada e um dos melhores ataques e fazendo a campanha que faz.

Tabela difícil e crítica aos que querem só os grandes nas semifinais
É uma tabela ingrata. Dos nossos 15 jogos, disputamos 11 fora de casa. No entanto, o Madureira até aqui fez 30 pontos no campeonato para calar a boca dos idiotas que escrevem em colunas de jornais importantes do Rio de Janeiro que é ruim o Madureira estar entre os quatro.  Na verdadeira concepção desses imbecis, tem que dar os quatro grandes nas semifinais. É óbvio o que cada um recebe de televisão, de arrecadação dos jogos, é muito maior, 10, 15 vezes que o que um clube como o Madureira recebe. No entanto, um imbecil desses é incapaz de saber que a campanha do Madureira é de destaque e que merece estar entre os quatro melhores colocados. Mas, no final do campeonato, Deus queira que o Madureira cale a boca desses imbecis.

Fonte: FutRio