De volta depois de cumprir suspensão contra o Internacional, Rodrigo Pimpão vai voltar ao time amanhã contra o Nacional-PAR, pela Copa Sul-Americana, e pode se tornar o maior artilheiro da história do Botafogo em competições internacionais. Com seis gols , o atacante precisa de mais dois para chegar ao topo da lista. Por enquanto, quem detém o recorde é Sinval, centroavante que marcou oito vezes na campanha do título da Copa Conmebol e m 1993.

— Este tipo de recorde é bom para o ego, mas está aí para ser batido mesmo. Desejo toda sorte ao Pimpão para que consiga me alcançar. Espero que ele use essa meta como motivação para ajudar o Botafogo — torce Sinval, que, aos 51 anos, está afastado do futebol e administra três motéis em Andradina, cidade no interior de São Paulo, onde vive com a mulher Tanize e três filhos.

Rodrigo Pimpão começou a subir na lista no ano passado, marcando cinco vezes na campanha da Libertadores. Já neste ano, balançou as redes contra o Audax Italiano, na primeira fase da Copa Sul-Americana. O gol contra a equipe chilena fez o atacante ultrapassar Túlio Maravilha e Jairzinho, que acumulam cinco gols cada.

Apesar de estar de olho em Sinval, Pimpão ainda é o terceiro colocado da lista de artilheiros do Botafogo em competições internacionais. O meia Lúcio Flávio, que atuou pelo Botafogo entre 2006 e 2010, fez sete gols em jogos das edições de 2007,2008 e 2009 da Copa Sul-Americana.

Na torcida de longe, Sinval acredita que o Botafogo pode ir longe no torneio e repetir a conquista de 25 anos atrás. Para justificar o otimismo, relembra do espírito da equipe comandada pelo técnico Carlos Alberto Torres acabou campeã em 1993.

— Nosso time tinha algumas limitações técnicas, mas o Carlos Alberto dizia que a gente tinha chance de ser campeão e nós compramos a ideia. Foi ele que conseguiu fazer a gente acreditar que era possível e deu certo — relembra o ex- atacante.

Maiores artilheiros do Botafogo em competições internacionais:

1 – Sinval – 8 gols (1993)

2 – Lúcio Flávio – 7 gols (entre 2006 e 2010)

3- Rodrigo Pimpão – 6 gols (desde 2015)

4 – Túlio – 5 gols (1996)

4 – Jairzinho – 5 gols (entre 1963 e 1973)

Nacional não vem bem

Se o Botafogo perdeu três vezes nos quatro jogos após a Copa, o adversário de amanhã não chega em condições muito melhores. Desde o fim do Mundial, o Nacional-PAR fez três partidas e teve duas derrotas e um empate, conquistado no último domingo, contra General Diaz. Desempenho que vale apenas o 10ª lugar entre os 12 times que disputam o Torneio Clausura, do Paraguai.

Na primeira fase da Sul-Americana, o Nacional só venceu do Mineros, da Venezuela, nos pênaltis, após dois empates em 0 a 0. Sem grandes conquistas fora do Paraguai, o Nacional ganhou projeção em 2014, quando chegou na final da Libertadores, mas acabou perdendo para o San Lorenzo, da Argentina.

Fonte: Extra Online