O técnico Vágner Mancini apontou o fator emocional como um dos grandes vilões após a derrota do Botafogo para o Atlético-PR por 2 a 0, neste sábado, em Volta Redonda, pelo Campeonato Brasileiro. Segundo ele, o primeiro gol dos visitantes colaborou para que a equipe não tivesse uma boa reação.

“Hoje a corda apertou mais. Perdemos uma boa oportunidade de somar pontos. Eu acho que o Botafogo sentiu emocionalmente quando levou o gol. O Botafogo começou bem o jogo. A equipe deu uma escorregada e voltou a mandar na partida. Teve chances de empatar. Após a expulsão ficou mais difícil. Você jogando contra o emocional e com um jogador a menos”, analisou.

Em relação à expulsão de Júnior César, o técnico também apontou o contexto que o clube vive – com imensas dificuldades financeiras, ambiente político mais conturbado – como determinante.

“Toda expulsão há um exagero de força. Vi que o Deivid e o Junior César se estranharam, depois vamos ver o que aconteceu, acho que tudo é fruto do emocional. Viver uma situação destas, ter a obrigação de vencer, na zona de rebaixamento, tudo isso joga diferentemente, tem um peso diferente. Às vezes os atletas se enchem de energia, outros sentem mais”, disse.

O técnico, que reafirmou que não abandonará o clube de maneira alguma até o fim do ano, prometeu ainda a equipe com outro espírito para a próxima partida – o time vai enfrentar o Fluminense no Maracanã no próximo sábado.

“Nas próximas quatro semanas, teremos que fazer mais do que fizemos. Que a gente não entre derrotado, que o torcedor entenda que estamos fazendo o máximo possível, que a gente vai entrar com o Flu com espírito mais forte, para reverter o quadro desconfortável para todos nós”, concluiu.

Fonte: ESPN.com.br