Além do futebol e dos grandes shows, o Maracanã tem recebido eventos diferentes do habitual nos últimos tempos. Usando o fato de ser o local da final da Copa do Mundo, o estádio virou até mesmo palco para baladas da noite carioca, como a realizada horas antes da final do Estadual vencido pelo Flamengo, no último domingo. Um dos espaços disponíveis para festas é, no mínimo, inusitado: atrás de um dos gols da arena.

O Maracanã não revela o quanto fatura a cada uma dessas festas, mas o valor dos ingressos cobrado pelos realizadores dos eventos indica que o aluguel do espaço não sai barato. Uma delas, a “Zona Sul do Samba”, marcada para o dia 2 de maio, cobra R$ 100 para homens e R$ 80 para mulheres em seu terceiro lote de venda antecipada.

O uso do Maracanã para festas integra a estratégia de ocupar a programação do estádio com eventos em dias sem jogos e torna-lo mais rentável a concessionária que o administra desde agosto do ano passado, após a Copa das Confederações. Isso para que a arena cumpra a missão de render R$ 1,4 bilhão nos 35 anos de concessão.

Segundo a concessionária, o estádio conta com quatro locais para eventos: Espaço Bossa Nova, Vip Lounge Oeste (Maracanã Mais) e Vip Lounge Leste, além das áreas atrás dos gols. A administradora da arena ainda se dispõe a alugar o auditório, utilizado para as coletivas de imprensa em dias de jogos, para congressos e palestras.

Nem mesmo a proximidade dos visitantes durante as baladas preocupa a concessionária. Na festa realizada horas antes da decisão do Carioca, “Terrasse Day Party”, os participantes do evento posavam para fotos a poucos metros do gramado. Além disso, bebidas alcóolicas são vendidas no local.

“O Maracanã toma sempre as medidas necessárias para preservar o gramado, local mais sagrado do estádio, e que não foi utilizado para qualquer evento até o momento. Ao promover eventos a fim de se inserir no contexto de estádio multiuso, amplamente utilizado em arenas no mundo todo, a concessionária adota todas as medidas cautelares para que o esporte, sua atividade fim, não sofra qualquer interferência”, argumenta a concessionário através de sua assessoria de imprensa.

Segundo a administradora, a equipe que cuida do estádio durante os eventos é treinada para evitar qualquer tipo de invasão ao gramado, danos ou até mesmo sujeira na arena que sediará a final da Copa do Mundo deste ano.

“A equipe de seguranças patrimoniais do Maracanã é devidamente treinada e preparada para lidar com qualquer tipo de situação, evitando danos às dependências do estádio. Da mesma forma, a equipe de limpeza do Maracanã está de prontidão para deixar tudo de acordo tão logo o evento termine”, explica a concessionária.

As baladas devem se tornar algo comum no estádio até o dia 22 de maio, quando a concessionária terá de entregar o Maracanã à FIFA para a Copa do Mundo.

Fonte: UOL