No ranking de pontos acumulados em campeonatos nacionais de 2006 a 2013, o Everton é sétimo entre os times ingleses (492 pontos ganhos) e o Botafogo o nono (437) em meio aos brasileiros. Cada um disputou 304 partidas no período. O levantamento é do site FutDados.

A matemática retrata a história recente dos dois clubes que já foram hegemônicos em seus países. E mostra que este blogueiro foi até generoso ao afirmar no Linha de Passe, segunda-feira, na ESPN, que o Botafogo atual equivale no Brasil ao que hoje é o Everton na Inglaterra. Se levarmos ao pé da letra, o desempenho dos Toffees é superior.

A irritação de alvinegros com o comentário feito no programa não se justifica. As informações que você lerá abaixo deixam isso bem claro. E o Botafogo é alvo deste post por duas razões: mostrar a esses torcedores que a paixão não deve ofuscar a razão quando a existência do clube está em jogo (o presidente admite isso); e hoje a estrela solitária vive a pior crise financeira entre os clubes da Série A.

Para entender isso, o torcedor precisa, antes de tudo, momentaneamente deixar de lado a história gloriosa do seu time de coração. Não é o que se discute, mas sim o momento de cada agremiação. E é necessário compreendê-lo. Na Inglaterra, o Everton briga, no máximo, para disputar a Liga dos Campeões. E o Botafogo rema para alcançar a Libertadores. E só. Os dois só chegaram lá uma vez cada neste século.

O clube azul de Liverpool tem nove títulos nacionais, mas não ganha desde 1987 o campeonato inglês. Antes de Alex Ferguson chegar a Old Trafford, em 1986, o Manchester United tinha menos conquistas do que o Everton. De lá para cá os Red Devils se agigantaram e hoje têm 20. Novos tempos. Após o quarto posto em 2005, os Toffees ficaram entre quinto (três vezes, inclusive em 2014) e 11º na Premier League.

Quarto em 2013, o Botafogo transitou entre esse posto, o seu melhor em 18 anos, e o 15º lugar do Brasileiro. O time da estrela solitária foi campeão nacional em 1995 e não mais. Desde então o Vasco, o Fluminense, o Cruzeiro e o Santos ganharam dois cada, São Paulo três o Corinthians quatro títulos da Série A. Outra curiosidade em comum envolvendo Everton e Botafogo: em 2004 ambos ficaram a apenas uma posição do rebaixamento para a segunda divisão em seus respectivos certames.

Veja abaixo a pontuação de cada time nas primeiras divisões de Brasil, Espanha, Itália, Inglaterra e França entre as temporadas de 2006 e 2013:

Arte

Pontos somados por cada clube de 2006 a 2013
Pontos de cada clube entre 2006 e 2013

A briga pelos títulos ficam com os rivais, tanto de Everton quanto do Botafogo, reflexo da desvantagem econômica em relação a clubes mais endinheirados e/ou mais organizados. Para mudar esse cenário, o primeiro passo é aceitar os fatos. E essa não é uma missão exclusiva para botafoguenses. Muitos se recusam a enxergar isso e não ajudam o time a sair do atoleiro. Pensam, “somos grandes”, embora tenham se apequenado.

Gazeta Press

Com salários atrasados, jogadores do Botafogo exibiram faixa antes de enfrentar o Flamengo
Com salários atrasados, jogadores do Botafogo exibiram faixa antes de enfrentar o Flamengo

Se o também endividado Flamengo não usa as vantagens que tem (orçamento superior e possibilidades de faturamento maiores), cabe aos botafoguenses aproveitar. É o que eventualmente fazem mineiros e gaúchos, compensando desvantagem econômica com estrutura e outras ferramentas que alavancam um clube.

Não acontece hoje com o alvinegro carioca, cujo endividamento está próximo do acumulado pelo velho rival e, óbvio, suas dificuldades para superar esse problema são maiores por receber menos dinheiro. Como figurar lá em cima em tal cenário? E isso com rubro-negros, corintianos, são-paulinos e outros faturando bem mais.

Na Itália a pontuação que se parece com a do Botafogo pertence à Udinese e na Espanha ao Villarreal. Na França o Rennes é um espelho, com os mesmos pontos e quantidade de pelejas disputadas em oito temporadas consecutivas. No ranking de posições médias, os botafoguenses aparecem entre o oitavo e o novo lugares no Brasileirão, com desempenho próximo ao do Montpellier, que até foi campeão francês em 2012.

Grande ídolo recente do Botafogo, Clarence Seedorf disse certa vez: “Então, o Botafogo é um clube que às vezes me perguntava… o Torino, na Itália, um clube histórico. O Chelsea, há dez anos, não tinha importância. Esse foi o desafio de fazer brilhar essa estrela” – clique aqui e confira. Não me lembro de alguém ter se ofendido.

E no ranking acima, o time grená de Turim (sete vezes campeão nacional, a última em 1976) é o 87º e os botafoguenses estão em 33º. Em sua curta passagem, definitivamente o craque holandês compreendeu a realidade do clube melhor do que muita gente que nasceu Botafogo. A muitos falta coragem para encarar isso.

Mas qual a posição de cada time brasileiro? Note que o São Paulo tem a melhor pontuação, próxima aos novos ricos na Europa Manchester City e Paris Saint Germain. E é apenas o 14º nestes rankings. O Grêmio vem logo depois e o Atlético de Madrid, atual campeão espanhol, fica ali por perto.

Clique aqui, abra a tabela abaixo em nova janela e clique novamente sobre ela para vê-la ampliada. Observe quais os paralelos entre seu clube e os europeus entre 2006 e 2013. Fica claro que o perde-e-ganha no Brasileirão é mais freqüente. Fruto de equilíbrio, dirão alguns, e também do desequilíbrio dos próprios times entre uma temporada e outra. Mas a brincadeira da comparação é interessante. Divirta-se!

Fonte: Blog do Mauro Cezar Pereira - ESPN.com.br