Conhecido pelo grande trabalho desenvolvido nas categorias de base, Eduardo Barroca chegou ao profissional do Botafogo com a expectativa de que os jovens teriam muitas oportunidades. De fato, há essa preocupação. E para isso, o treinador optou por armar uma espinha dorsal formada por medalhões.

Gatito Fernandez (ou Diego Cavalieri), Joel Carli, Cícero, João Paulo e Diego Souza. Esses atletas, além de apresentarem bom rendimento em campo, contam com um segundo papel na equipe: facilitar a inserção de jovens valores no time titular.

A premissa é básica. Experientes, eles servem de escudo para os mais jovens terem oportunidades mais consolidadas. As críticas se reduzem, então, a qualquer tipo de erro individual cometido pelos atletas. No aspecto coletivo, a culpa dificilmente cairá sobre os ombros de um jovem atleta.

“Temos de focar no nosso trabalho, ouvir o Barroca, e ir lá em busca dos três pontos. Não será fácil, nunca é, mas temos de ir com a mentalidade de vencer”, disse Gabriel, o último jovem a ser inserido no time titular já projetando o duelo com o CSA, no domingo, em Alagoas.

Curiosamente, a tática serviu não apenas para a entrada de jovens atletas, mas também de jogadores que vinham sendo perseguido pela torcida. Com o problema de saúde de Jonathan, Gilson ganhou a posição na lateral esquerda e não teve dificuldades como no início da temporada.

Ele mostrou bom futebol e logo passou a contar com o apoio da torcida. Ele sabe que precisa manter o bom nível de atuações para não voltar a ser vaiado. Para Gilson, outro aspecto no trabalho de Barroca facilitou seu trabalho. A forma de ver o futebol.

“Já trabalhei com alguns treinadores, já estou aqui há algumas temporadas. Cada treinador tem o seu perfil, e o Barroca tem o dele. O perfil dele nos agrada muito, nos dá muita liberdade. Procura sempre deixar claro que quer o time tenha a bola e controle o jogo. Estamos muito contentes com esse trabalho”, disse Gilson.

Após vencer o Vasco, o Botafogo chegou aos 12 pontos e ocupa a 7ª posição do Campeonato Brasileiro. O Alvinegro volta a campo no domingo, quando visitará o CSA, em Alagoas, no estádio Rei Pelé.

Fonte: UOL