A zaga do Botafogo versão 2018 terá uma peculiaridade: Quatro dos cinco jogadores da posição são garotos, todos formados nas categorias de base do Alvinegro. São eles: Helerson e Kanu, ambos de 20 anos, que serão promovidos aos profissionais nesta pré-temporada, e os ‘veteranos’ Igor Rabello, de 22 anos, e Marcelo, que fará 22 no próximo dia 07. O quarteto se une ao argentino e mais experiente Joel Carli, capitão do Glorioso, de 31 anos. Diante deste cenário, a média de idade dos jogadores da posição é 23.

A pré-temporada do Botafogo começa no próximo dia 04 e três dias depois, o Alvinegro se muda para Domingos Martins-ES, onde ficará até a estreia no Carioca, contra a Portuguesa, no Nilton Santos, no dia 17/01. O time de Jair Ventura terá essa configuração na próxima temporada porque Renan Fonseca não teve o contrato renovado, Emerson Silva terá o mesmo destino e Emerson, outro formado em General Severiano, acertou com o Palmeiras. E a julgar pela movimentação do Botafogo no mercado, mais focado no setor ofensivo, o Alvinegro não trará ninguém para o setor.

Inexperiência de Kanu e Helerson vai pesar?

A inexperiência do quarteto comprometerá o próximo ano? Isso só o tempo dirá, mas o certo é que os quatro têm boas credenciais. Kanu e Helerson chegaram a completar um treino da Seleção Brasileira principal, em outubro, na Granja Comary. O primeiro até foi inscrito no último Campeonato Carioca, mas não chegou a jogar. Treinar com os principais não será uma novidade para ele, que fez o gol do título do Brasileirão Sub-20 de 2016 e talvez seja por isso que o segundo, Helerson, crava: a inexperiência não vai atrapalhar o Botafogo.

– Eu e o Kanu subimos agora, ainda não tivemos a chance de jogar nos profissionais, mas o convívio lá em cima e os treinos diários nos darão experiência para quando a oportunidade pintar a gente não comprometer. É bom saber que o Botafogo está dando essa chance aos jovens. Isso mostra que acredita no nosso potencial. E dos quatro, dois já têm uma boa experiência – contou Helerson, em contato com o LANCE!

Marcelo, o homem de gelo

Marcelo é conhecido pela ‘personalidade’. Ele foi eleito o melhor em campo na primeira final do Brasileirão Sub-20 do ano passado, temporada que oscilou entre base e profissional, após chegar por empréstimo do Fluminense, no início de 2016. Convenceu e o Alvinegro comprou 60% dos direitos do jogador, que terminou aquela temporada com um jogo no profissional, justamente contra o Flu, e relacionado para mais outros 11 jogos.

Ele foi promovido em definitivo no início de 2017. Em março, veio uma renovação até o fim de 2020 e aumento da joia. Há torcedor, inclusive, que implora para que Jair Ventura o escale ao lado de Igor Rabello, que já é mais conhecido do torcedor, titular.

Igor Rabello tem 2017 especial

Recém formado em Educação Física, o ‘General’ é frio e já mostrou que um dos seus pontos fortes é a jogada aérea. Talvez por isso tenha recebido uma proposta da Udinese, da Itália, no meio deste ano, e é monitorado por outras equipes como o Anderlecht, da Bélgica.

No clube desde 2012, ele foi promovido em 2014, relacionado para alguns jogos, mas não estreou. No ano seguinte, com o time na B, revezou entre os profissionais e a base, mas tudo o que colheu nos profissionais foi ser relacionado para um jogo na Copa BR. Nos ‘Aspirantes’, marcou no Flamengo.

No ano passado, nova promoção – agora em definitivo. Foi relacionado para dois jogos, atuou em outros dois, mas foi emprestado para o Náutico disputar a Série B. Brilhou por lá, deixou saudade e voltou no início de 2017, mas para ser reserva. Conquistou a titularidade, virou queridinho dos torcedores e dos europeus, fez dois gols e ainda concluiu a graduação.

Igor Rabello – 50 jogos e dois gols – 22 anos
Marcelo – 27 jogos e um gols – 21 anos
Helerson e Kanu – Ainda não estrearam – Ambos têm 20 anos
Carli – 79 jogos e quatro gols – 31 anos

Fonte: Terra