Médico da CBF se pronuncia sobre punição de Jobson: ‘Houve desrespeito dele’

Compartilhe:

Nesta sexta-feira, pouco tempo após a Fifa validar a punição e suspender o atacante Jobson, do Botafogo, por quatro anos, após o jogador se negar a fazer exames antidoping, quando ainda atuava na Arábia Saudita, a CBF (Confederação Brasileira de futebol) se pronunciou sobre o ocorrido.

Segundo o médico Fernando Solera, responsável pelo setor de doping da entidade suprema de futebol no Brasil, a punição é correto, pois Jobson desrespeitou o regulamento.

“É alegação dele que não foi informado. Trabalho do lado de cá, sou uma comissão de controle de doping, e acredito na comissão de controle de doping da Arábia Saudita. O assunto foi estudado com cuidado, de setembro até agora, a Fifa demorou para concluir o assunto. Foi tudo extremamente estudado, a documentação foi conferida. Para nós da CBF, não há contraditório. Houve um desrespeito ao controle de doping e a pena foi aplicada”, disse o doutor.

Fernando também informou que estudou o caso para saber se a Fifa estava aplicando a punição de forma correta. “Fiz toda uma pesquisa para saber o que havia acontecido. Assim que o atleta é sorteado, ele assina um documento. E toda essa documentação existiu nos moldes exigidos pela Fifa”, comentou.

Por fim, o médico lamentou mais um problema para a carreira do polêmico atacante. “O Jobson está suspenso a partir de hoje (sexta-feira). São quatro anos em função do que aconteceu na Arábia Saudita. Ele não fez o controle de doping, negou a fornecer material e saiu da sala. É triste. Um grande jogador, apesar de ter tido duas situações com controle de doping positivo. Esperamos sempre que a pessoa se recupere, que foque de novo no trabalho”, encerrou.

Como está suspenso, Jobson não enfrenta o Vasco da Gama, pela final do Campeonato Carioca, no domingo.



Fonte: Futnet
Comentários