O longo período de inatividade por conta da grave lesão sofrida na perna ainda cobra o preço para João Paulo. O meio-campista assumiu a liderança do time mesmo em busca da melhor forma. O ritmo de jogo ainda não é o ideal. Mesmo assim, o camisa 8 já mostrou o suficiente para que o torcedor do Botafogo entendesse que ele será o pilar do time em 2019.

O problema é que ele ainda sofre com dores musculares devido ao forte ritmo deste início de trabalho. Para João Paulo a situação é ainda pior já que ele ficou 8 meses sem entrar em campo em 2018. A atual temporada, portanto, representa um recomeço na carreira do jogador.

Futebol não falta e isso ficou claro no golaço de calcanhar que ele marcou diante do Flamengo. O que assusta nesse momento é a confiança de que João Paulo estará livre de problemas físicos e jogará regularmente em 2019.

Logo após balançar as redes, João Paulo recebeu bola na esquerda e protegeu da marcação de Renê, que acabou fazendo a falta. No lance, o camisa 8 do Botafogo sentiu um desconforto no músculo posterior da coxa direita e, por precaução, pediu para sair.

Sem o capitão em campo, o Botafogo se desorganizou. Aliado ao cansaço geral no segundo tempo, o time foi envolvido pelo Flamengo e levou a virada no Nilton Santos. Na ausência de João Paulo, o técnico Zé Ricardo ficou sem liderança em campo. Rodrigo Lindoso, que desempenhava tal função, foi negociado com o Inter.

“João Paulo e Alan Santos temos que dar ritmo para a primeira rodada da Sul-Americana e para a Copa do Brasil. Se tem algo que a gente faz, é trabalhar muito forte”, disse o técnico Zé Ricardo.

Ainda é cedo, mas até o momento nenhum dos atletas que estavam em campo parecia ter o perfil necessário para conduzir os companheiros.

Com a derrota, o Botafogo segue com apenas um ponto conquistado na lanterna. O Alvinegro ainda tem chances de classificação para a semifinal, mas se vê em situação complicadíssima. O time encara o Resende, nesta quinta, no Nilton Santos.

Fonte: UOL