Apesar da preocupação com relação ao volume de jogos no Maracanã no período que vai anteceder a Copa-2014 e a recomendação para que sejam disputados apenas quatro partidas por mês, a Fifa admitiu nesta quinta-feira que não tem autoridade para limitar o número de partidas que o estadio venha a receber ate ser entregue para o Mundial.

As palavras são de Chris Unger, chefe do departamento de operações, que liderou, ao lado do Comitê Organizador Local (COL), a última das quatro visitas operacionais da entidade antes da Copa.

– Temos duas questões: a preparação do estádio e a atividade regular aqui, jogos da liga ou copa. E também estamos muitos próximos da CBF pela organização dos jogos que vão acontecer antes da Copa. É um diálogo contínuo com a CBF para que o estádio não tenha jogos demais, para não desgastar. Mas não somos o dono do estádio. Vamos seremos “donos” por um certo período de tempo. Entãl temos que respeitar a autoridade dos clubes e da CBF – afirmou Unger, que ainda completou:

– Monitoramos de muito perto o funcionamento do estádio, especialmente o gramado. E nós, como Fifa, temos experts em gramado, assim como o COL. Os experts vêm em uma agenda regular, não só ao Maracanã, mas também aos outros estádios. Eles trabalham junto à equipe de manutenção dos estádios e fazem recomendações com relação ao número de jogos e agenda. Em algum período de tempo, três semanas antes do primeiro jogo de abertura, não terá mais jogos. E aí começa a preparação final da Copa.

Gerente geral de integração operacional do COL, Tiago Paes deu mais detalhes sobre o objetivo da visita dos técnicos da Fifa e do COL.

– É para melhorar os pontos e operações que mudam de tamanho e qualidade para a Copa. É a última visita do grupo todo, de mais de 60 pessoas, uma inspeção conjunta. Mas o monitoramento acontece diariamente. Temos equipes no Maracanã, e acompanhamos por televisão o que acontece, sem divulgação – disse ele, em coletiva após caminhar pelas instalações do estádio.

– O ponto da visita não é redesenhar o estádio. É um estádio bonito, não tem muito o que mudar. Mas o propósito da visita, que é a primeira depois da Copa das Confederações, é revisar junto com o COL, Fifa e cidade a operação do estádio e falar sobre o aprendizado da Copa das Confederações e as adaptações para a Copa. Veremos o que podemos mudar os planos de operação – completou Unger.

Entre as adaptações relatadas estão, por exemplo, a ampliação da área de imprensa e a criação de uma vila de hospitalidade.

– As vilas não existiram, funcionaram como estacionamento e agora haverá cozinha, stands, gerador de energia… são esses pontos. Os estádios estão prontos – completou Tiago.

O representante do COL ainda acrescentou que a organização do mundial, ainda que o governo do estado tenha retrocedido em relação às demolições dos estádios Célio de Barros e Júlio Delamare, tem um plano para utilizar as duas instalações.

– Nunca saíram dos nossos planos. Sempre estiveram ali nas plantas. Nós usaremos as instalações para o jogo final. O Júlio Delamare sera o local dos dançarinos no cerimônia de encerramento. O Célio de Barros, a área de segurança usa para logística deles – explicou.

O Maracanã receberá sete jogos da Copa-2014, inclusive a final, no dia 13 de julho. A comitiva da Fifa que esteve no estádio prosseguirá nos próximos dias por outros estádios que serão usados no Mundial. Entre sexta-feira e quarta-feira, a ordem será Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte e Brasília. Na próxima quinta-feira será a vez do secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke vir ao Maracanã.

Fonte: Lancenet!