O veto ao Nilton Santos para a final da Taça GB fez o Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-RJ) entrar em cena. Ele decidiu que, caso o Boavista (mandante da partida) desejasse, o Botafogo seria obrigado a abrir as portas do estádio sob pena de pagar multa de R$ 500 mil. O órgão entrou na mira da artilharia de Montenegro.

– O procurador (André Valentim) que entrou com isso o fez a pedido da Federação. Mas ele é flamenguista doente e persegue o Botafogo há 12 anos. A Federação, o Tribunal e a Procuradoria não pagam as contas do Nilton Santos. Quem paga é o Botafogo. Então podem ameaçar, fazer o que quiserem. Mas quem decide é o Botafogo. Quero ver se fariam isso em São januário na época do Eurico. – questiona o ex-dirigente, que ainda brinca com o documento do TJD. – O pior disso tudo é o Tribunal e a Federação não saberem o nome do Boavista, filiado há um tempão (no documento conta Boa Vista Futebol Clube, ao invés do correto Boavista Sport Club).

Fonte: O Globo Online